pms fev 2024 exploração sexual


Abertura da safra da castanha-do-pará e do cumaru gera renda para extrativistas

Agência Pará - 05/02/2024

Coleta de castanha na Floresta Estadual do Trombetas - Créditos: Divulgação/Idefoor

A Floresta Estadual (Flota) do Trombetas, na região oeste paraense, foi aberta neste domingo (4) para a safra 2024 da castanha-do-pará e do cumaru. Durante cerca de 4 a 6 meses, mais de 600 extrativistas previamente cadastrados junto ao Instituto de Desenvolvimento Florestal e da Biodiversidade (Ideflor-Bio), estão autorizados a entrar na Unidade de Conservação (UC) para realizar a atividade.

 

A iniciativa fortalece a cadeia da bioeconomia, gera renda para centenas de famílias e agrega valor aos produtos oriundos de maneira espontânea da natureza. Vale ressaltar que por ser uma UC de Uso Sustentável, a atividade é permitida na Flota do Trombetas, desde que siga as regras estabelecidas pelo órgão gestor da área.

 

"Essa é uma oportunidade ímpar para a geração de renda e o fortalecimento da bioeconomia no estado do Pará. Ao mesmo tempo, é essencial que essa atividade seja realizada de forma responsável e sustentável, preservando o meio ambiente e respeitando as comunidades tradicionais que dependem desses recursos naturais para sua subsistência", enfatizou o presidente do Ideflor-Bio, Nilson Pinto.

 

 

 

Safra - A coleta da castanha-do-pará na Flota do Trombetas tem início após o período de queda do fruto da castanheira (Bertholletia excelsa), conhecido como ouriço. Esse fruto, uma espécie de coco de casca grossa e resistente, começa a cair entre os meses de dezembro e janeiro. Após a queda dos frutos, os extrativistas iniciam a coleta.

 

Ainda no interior da UC, os ouriços são amontoados em áreas abertas da floresta e, em seguida, são quebrados para a extração das castanhas. Em média, cada ouriço contém entre 10 e 20 castanhas, que passam por um processo de secagem antes de serem ensacadas e colocadas à venda.

Uma boa notícia para os extrativistas é o aumento no preço da saca da castanha comercializada neste ano. Em comparação com o valor praticado em 2023, o preço da saca da castanha-do-pará vendida pelo extrativista está maior, sendo de R$ 200,00 contra R$ 144,00. Já nas usinas de beneficiamento do município de Oriximiná, o preço médio da saca gira em torno de R$ 250,00.




  • Imprimir
  • E-mail