pms fev 2024 exploração sexual
rec cartão afinidade Banpará fevereiro interno

Após três semanas de estiagem, volta a chover forte de madrugada em Santarém; temporal alivia fumaça de queimadas; veja vídeo

Portal OESTADONET - 27/11/2023

Chuva intensa e fortes ventos foram registrados a partir de 01h00 desta segunda-feira(27) em Santarém(PA) - Créditos: Reprodução/Portal OESTADONET/Video

 

Após 25 dias de estiagem severa, voltou a chover forte e incessante na região. A chuva que começou a cair por volta das 01h00 desta segunda-feira (27), em Santarém e outros municípios do oeste do Pará, trouxe um alívio para a população que sofre com a fumaça provocada pelas queimadas desde o período da estiagem. A madrugada desta segunda foi marcada por um forte temporal.

 

Veja o vídeo:

 

 

 

Até por volta das 10h00 ainda chovia fraco em Santarém. Na periferia foram registrados alguns pontos de alagamentos, mas sem graves ocorrências. Em alguns bairros da cidade houve registro de falta de energia. 

 

Problema semelhante ocorreu nos municípios de Óbidos, Curuá e Oriximiná, que também tiveram registro de falta de luz. Segundo informou a concessionária de energia elétrica no Pará, equipes da empresa estão trabalhando nos locais afetados para restabelecer o fornecimento de energia às famílias. 

 

A chuva aliviou o calorão dos últimos dias e ajudou a dissipar o fumaceiro que toma conta da região nos últimos dias. 

 

O meteorologista Alex Santos explica que os modelos meteorológicos indicavam essa chuva desde sexta-feira (24). Segundo ele, é o início do período chuvoso, porém, bastante diferente ao normal climatológico que a região costuma registrar nesta época do ano.

 

A previsão para os próximos dias é de chuvas esporádicas e em menor volume. 

 

O especialista explica ainda que essa chuva foi causada pelas zonas de instabilidade, devido à combinação entre a Zona de Convergência Intertropical (ZCIT) de ventos alísios, umidade, e a Zona de Convergência do Atlântico Sul (ZCAS).

 

Na semana passada, Santarém sofreu com as altas temperaturas e pelo fumaceiro incessante dos incêndios florestais. Na última sexta-feira (24), a cidade registrou 338 de microgramas de poluentes por metro cúbico, segundo o World Air Quality Index (WAQI), que mede a qualidade do ar. A classificação indica alto perigo à saúde da população.

 

Hoje, este índice estava 108, considerado ainda não saudável para grupos sensíveis.




  • Imprimir
  • E-mail