pms fev 2024 exploração sexual
rec cartão afinidade Banpará fevereiro interno

Durante encontro da ONU em Santarém, Helder defende comunidades tradicionais, indígenas, quilombolas e destaca potencial para produção de alimentos na Amazônia

Portal OESTADONET - 03/08/2023

Governador Helder e Vice-Secretária Geral da ONU, Amina J. Mohammed recepcionam governadores da Amazônia durante evento em Santarém(PA) - Créditos: Divulgação

Com a presença de representados dos estados Amazônicos, órgãos diplomáticos, governadores, prefeitos, parlamentares, ministro do governo federal e a Vice-Secretária Geral da Organização das Nações Unidas, Amina Mohammed, foi realizado nesta quarta-feira (2), em Santarém, no oeste do Pará, o evento ONU e Amazônia: parceria para o desenvolvimento sustentável. Trata-se de uma série de encontros que antecedem à Conferência do Clima das Nações Unidades, a COP 30, que acontecerá em Belém, em 2025. 

 

O evento em Santarém aconteceu no Centro de Convenções Sebastião Tapajós, e foi organizado pela ONU no Brasil em parceria com o governo paraense, por meio do Consórcio Interestadual para o Desenvolvimento Sustentável da Amazônia Brasileira, cujo presidente atual é o governador Helder Barbalho. Representando a Federação dos Municípios do Pará(FAMEP) participou do evento o prefeito de Santarém, Nélio Aguiar.

 

O ‘ONU e Amazônia’ marcou, ainda, o lançamento nacional do Fundo Brasil-ONU para o Desenvolvimento Sustentável da Amazônia e consolidou a parceria entre as Nações Unidas e o Consórcio da Amazônia Legal. 

 

A autoridades nacionais e internacionais discutiram projetos e propostas para a promoção do desenvolvimento humano e econômico da região. 

 

Na abertura do evento, o governador Helder Barbalho deu as boas-vindas aos ilustres convidados nacionais e internacionais presentes, alguns pela primeira vez em solo Amazônico, para juntos discutirem temas relacionados à sustentabilidade e promoção social, além do combate à desigualdade e à fome. 

 

Helder Barbalho destacou as peculiaridades próprias da Amazônia, sua diversidade e desafios urbanos. Em especial, citou o município de Santarém, que como muitas cidades da Amazônia enfrentam dificuldades para garantir qualidade de vida para sua população, com atenção especial às comunidades tradicionais, os povos indígenas, os quilombolas, que requerem sua ancestralidade reconhecida e valorizada. 

 

O governador paraense falou ainda das regiões que detêm da floresta, o seu ativo econômico, mas lembrou que ao lado das florestas estão também as áreas produtivas que asseguram que o Pará tenha um papel relevante para a segurança alimentar do planeta. 

 

“Uma região tão plural que exige olhares diferentes e sensibilidade aos desafios que cada um enfrenta. A partir do consórcio de governadores da Amazônia tem se buscado investimentos para a nossa região. O consórcio está comprometido com a construção de um modelo de desenvolvimento sustentável e a parceria com a ONU vai possibilitar um importante instrumento para construção de maneira sustentável daquilo que queremos para a nossa região. É preciso olhar pelas pessoas, cuidar das comunidades tradicionais, cuidar da cidade e do campo, dos povos tradicionais, dos ribeirinhos e garantir acesso a bens tão essenciais à qualidade de vida das pessoas”, disse o governador em sua fala.

 

Helder parabenizou o ministro da Integração e Desenvolvimento Regional, Waldez Góes, pelo empenho nas causas dos estados amazônicos. “Não poderia deixar de destacar, meu caro Valdez, o quanto me deixa feliz a escolha do presidente Lula ter um amazônida à frente do Ministério da Integração e Desenvolvimento Regional, sei o quanto ela é importante e relevante para a nossa região”, pontuou o governador. 

 

Helder destacou ainda que o Pará vive um momento muito especial, pois a partir do próximo dia 4, a capital Belém iniciará a recepção de um relevante evento, a Cúpula da Amazônia, que ocorrerá nos dias 8 e 9. Pela primeira vez, o Pará terá a presença dos chefes de estados da Pan-Amazônia. O evento vai definir políticas e estratégias para o desenvolvimento sustentável da região.

 

O governador encerrou sua fala destacando o privilégio de receber a COP 30 em 2025, e agradeceu a Vice-Secretária da ONU por estar em estar em Santarém e na Amazônia. 

 

Na ocasião, o ministro do Desenvolvimento Regional, Waldez Góes, reafirmou o compromisso assumido pelo presidente Lula que, segundo ele, fez recomendações específicas para que a pasta priorize o desenvolvimento regional da Amazônia, combatendo a desigualdade social e promovendo o bem-estar das populações tradicionais. 

 

“A Amazônica a cada ano se apresenta para dentro e fora do Brasil muito mais qualificada, organizada com propostas propósitos. E essas prioridades vão gerando um campo de confiança. Hoje temos uma sinergia muito grande entre o governo federal e as regiões, tanto pelo presidente Lula que constrói, como também pelo que ele recomenda: o desenvolvimento regional, a diminuição da desigualdade. Amazônia e Nordeste são carentes de muitas providências. O presidente Lula já deixou muito claro sua defesa pelo restabelecimento da democracia, defesa do clima e do combate às desigualdades e à fome, sem abrir mão da responsabilidade fiscal. Neste primeiro ano com a ajuda do Congresso estão saindo reformas que eram esperadas há décadas e que irão contribuir muito com as políticas sociais econômicas, ambientais, fiscais. Isso ganha mais força ainda com esse compromisso dele com a agenda de desenvolvimento regional’, afirmou Waldez Góes.

 

O ministro destacou a credibilidade atual criada pelos líderes da Amazônia que, juntamente com o compromisso do presidente Lula, que restabeleceu as relações internacionais, reposicionando o Brasil em todos os cenários, reforçam ainda mais o interesse do governo em promover o desenvolvimento em todas as regiões.

 

“A Amazônia tem propostas. Os governadores, prefeitos, parlamentares têm propostas para serem apresentadas e defendidas em prol do desenvolvimento da região. O compromisso do presidente Lula é fortalecer esse desenvolvimento, escutar aqueles que vivem na ponta, que geram empregos, os movimentos sociais e parlamentares. Tenho compromisso redobrado por ser da Amazônia, por ser filho de seringueiro. Nós temos que trabalhar redobrado”, disse o ministro.

 

Waldez também citou a confiança da ONU em acreditar nas propostas apresentadas pelo governo federal e adiantou que no próximo dia 11, o presidente Lula irá lançar o Plano de Desenvolvimento para o Brasil, que é fruto de escuta de todos os governadores e que vai dar uma nova dinâmica na criação de oportunidades para os brasileiros.

 

A Vice-Secretária Geral da Organização das Nações Unidas, Amina Mohammed, agradeceu às autoridades presentes e disse que espera que as populações tradicionais da Amazônia possam viver dignamente. Ela lembrou que a floresta Amazônica é o pulmão do mundo e o mundo todo depende dela. “Não é justo as queimadas que acontecem na região, pois elas acabam prejudicando todo o planeta”, afirmou. 

 

Amina Mohammed disse que gostaria que as pessoas falassem menos da Amazônia e passassem a conhecer mais a região.

 

Por fim, ela disse que admira o presidente Lula e que será importante para o Brasil sediar a COP 30, pois pela primeira vez, as potencias econômicas mundiais irão discutir temas relevantes a partir da realidade brasileira.




  • Imprimir
  • E-mail