Camarão no pão
Cartas na mesa

Comunidade de várzea de Santarém, no rio Amazonas, faz primeira despesca de pirarucu criado em tanque

Agência Santarém de Notícias - 11/04/2019

80% será dividido entre os comunitários e aplicado no melhoramento do manejo - Créditos: Agência Santarém de Notícias

Comunitários de Santa Maria do Tapará, localizada na várzea santarena, Rio Amazonas, iniciaram na manhã desta quarta-feira (10) a despesca de pirarucus criados em tanque. A iniciativa conta com a parceria da Prefeitura de Santarém, via Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semma).

 

Renda será revertida em 20% para a Associação de Moradores

 

"Esse projeto de manejo no tanque começou há três anos. Tínhamos um tanque que foi iniciado, mas não terminamos. Em 2016, ocorreu a ampliação, recebemos doações de 100 alevinos e hoje estamos fazendo a captura para a revenda", relatou o presidente da Associação de Moradores da Comunidade Santa Maria do Tapará, Raimundo Sousa.

 

A localidade realiza em novembro de cada ano o Festival do Pirarucu. Os animais usados na culinária durante a programação são retirados dos lagos que banham a comunidade. Agora os moradores tem mais uma alternativa de renda.

 


Aproximadamente 80 quilos foram retirados nesta quarta-feira (10)

 

"Isso é um sonho. Para termos peixe tanto fora quanto no período do defeso os comunitários uniram as forças. Fazemos todo o trabalho voluntário de fiscalização do tanque e ajudamos na alimentação", comemorou o morador José Almeida.

 


Pirarucu será vendido em restaurantes e mercados de Santarém

 

O pirarucu está protegido pelo período do defeso, mas os exemplares criados em tanque podem ser comercializados desde que tenham a autorização de órgão competente.

 

"A Semma emitirá a autorização de despesca. Assim, os moradores poderão fazer o comércio na cidade em restaurantes e mercados. É uma forma de assegurar os cuidados com o meio ambiente, observando a legislação vigente e gerar renda aos comunitários", informou o fiscal ambiental Welton Sousa.

 


Projeto de manejo em tanque começou há três anos

 

 

Durante 30 dias a estimativa é retirar 500 quilos. Nesta quarta-feira (10) foram retirados ao menos 80 quilos. No próximo sábado (13) será realizada nova despesca.

 

A renda será revertida em 20% para a Associação, sendo que 80% dividido entre os comunitários e aplicado no melhoramento do manejo.

 


Estimativa é retirar 500 quilos


  • Imprimir
  • E-mail