Alcoa Juruti
El Mexicano 2
churrascaria interno

Com 400 toneladas por ano, Fazenda Panorama em Uruará está entre as melhores na produção de cacau no Brasil

Weldon Luciano - 08/04/2019

Cacau produzido na Fazenda Panorama, em Uruará, no oeste do Pará - Créditos: Foto: Agência Vox

A Fazenda Panorama, localizada no município de Uruará, na região da Transamazônica (PA), está na Rota do Cacau e conquistou, recentemente, o primeiro e segundo lugares na categoria Blend no I Concurso Nacional de Qualidade do Cacau Especial do Brasil. A avaliação considerou detalhes e aspectos das amêndoas e o produto paraense se destacou pela qualidade e paladar. Construída por uma família alemã que está na quarta geração, a produção se destaca, diferenciado pela fermentação e pela variedade de aromas. São produzidas em torno de 400 toneladas ao ano, sendo que o quilo é vendido por cerca de R$ 8 reais.

 

De acordo com os proprietários, o espaço possui 2 mil hectares de terras férteis, 12 funcionários fixos e 30 famílias que vivem e cultivam cacau na Agrovila. O sistema de plantio, denominado Cabruca- 65% sol e 35% sombra das plantas, o que garante a utilização de árvores e replantio, favorecendo a sustentabilidade, sem desmatar e ainda promovendo a recuperação e reflorestamento de áreas degradadas.

 


Helton Gutzeit, neto do fundador da fazenda e que hoje administra a produção.Foto: Agência Vox

 

O cacau é uma alterativa que impulsiona a economia da região e o reconhecimento também vem do Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR) e da Comissão Executiva do Plano da Lavoura Cacaueira (Ceplac). “O cacau pode ser uma grande alavanca no desenvolvimento do Pará e uma alternativa para desenvolver a Amazônia de forma sustentável, já que seu cultivo pode recuperar áreas degradadas. É uma forma, também, de reduzir o êxodo rural, uma vez que é uma cultura perene e mantém as pessoas durante bastante tempo nesta tradição”, destaca Helton Gutzeit, neto do fundador da fazenda e que hoje administra a produção.

 

Cacau no Pará

 

O fruto paraense possui teor mais alto de manteiga, o que em termos de qualidade o iguala ao padrão do mercado internacional. Esse diferencial se dá, principalmente, pelo fato de o cacau amazônico estar em seu bioma de origem e na linha do equador.

 

O Pará vem surpreendendo e ultrapassou a Bahia, até então líder na produção. Em 2016, foram 117 mil toneladas produzidas em aproximadamente 170 mil hectares. Segundo o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, o País é o 7º maior exportador do produto no mundo. A agregação de valor do cacau supera 2.000% desde a amêndoa até o chocolate e a cadeia produtiva movimenta R$ 20 bilhões no território nacional. Na região da Transamazônica a produção engloba 11 cidades paraenses na região da Floresta Amazônica.   


  • Imprimir
  • E-mail