Dengue
Vox interno
churrascaria interno

Helder Barbalho: um balanço

Lúcio Flávio Pinto - 18/02/2019

Governador Helder Barbalho faz juramento ao ser empossado no cargo, na Assembleia Legislativa. Foto: Arquivo -

Em seu blog, Léo Gomes fez um balanço de quase dois meses do governo Helder Barbalho. Chega a um balanço positivo. Reproduzo o texto (com alguns ajustes e correções) como estímulo a um debate sobre o tema entre os leitores. Meu primeiro comentário, ao fim, é para animar ainda mais a discussão.

 

Já se passam quase dois meses do governo Helder Barbalho, e os desafios são tamanhos para cumprir as promessas elacadas [apresentadas?] no pleito eleitoral.

 

Dentre elas uma vem já sendo cumprida, o "Governo Presente", o governador se faz presente nas redes sociais informando os cidadãos paraenses de todos os atos do governo. JÁ nos primeiros dias como governador, Helder Barbalho se mostrou determinado em combater a escalada da violência urbana em nosso Estado.

 

Como prometido na campanha eleitoral, Helder, solicitou junto ao Ministério da Justiça, o apoio da Força Nacional para o Estado, e também nomeou para a pasta da segurança pública, um profissional da mais alta competência para comandar a segurança pública do estado (Ualame Fialho), também determinou a volta de 600 policiais militares em desvio de função da Polícia Militar. São medidas que demonstram o real compromisso com a segurança pública do nosso Estado.

 

Na área da educação, o governador Helder Barbalho, nomeou a professora Leila Freire para comandar a pasta. Uma das prioridades assumidas foi o pagamento do piso salarial do magistério, uma promessa de campanha feita aos profissionais da educação. Os desafios são tamanhos para se reverter a atual situação que se encontra a educação em nosso Estado.

 

Helder recebeu do governo Simão Jatene uma educação sucateada, escolas abandonadas, caindo literalmente nas cabeças dos alunos, professores insatisfeitos, desvalorizados. Mesmo com todos esses desafios, o governador, logo nos primeiros dias de mandato, já determinou o levantamento das condições físicas das escolas públicas do nosso Estado, um estudo financeiro para buscar o pagamento do piso salarial do magistério, a nomeação dos aprovados do concurso da Seduc, e promete elevar a nota do IDEB em nosso Estado.

 

Na infraestrutura, Helder, já deu partida na liberação da obra tão aguardada em nosso Estado, o "derrocamento do Pedral do Lourenço" uma obra necessária para a logística e para a economia do nosso Estado. Também na área de infraestrutura, o governador deu início à obra da construção do aeroporto municipal de Salinas, essa obra de tamanha importância para os cidadãos do município e para a economia local.

 

Na região metropolitana, na obra do BRT Metropolitano, o projeto visa obras de reconstrução e requalificação incluem pistas com três faixas de rolagem nos dois sentidos, com pavimento flexível, uma faixa (em cada sentido) exclusiva para o BRT Metropolitano, duas ciclovias bidirecionais, gramado próximo à ciclovia para arborização, dois passeios para circulação de pedestres com 2,5m de largura, faixa de piso tátil e rampas de acessibilidade, de acordo com a legislação vigente, além de mobiliário urbano (bancos, lixeiras e abrigos em paradas de ônibus convencionais.

 

Na saúde, o governador Helder Barbalho, determinou a conclusão dos Hospitais "Abelardo Santos" em Icoaraci, o Hospital Regional de Abaetetuba, entre outros já entregues. Uma das ações do governo, foi a alteração na forma de contratação das organizações sociais (OS), pois havia sinais de corrupção adotadas pelo governo Simão Jatene.

 

O slogan de campanha do governador Helder Barbalho " Governo Presente" vem sendo exercido diariamente pelas redes sociais. O governador se faz presente em todos os atos do seu governo, esclarecendo, interagindo, informando o cidadão do que acontece em nosso Estado.

 

São positivos os primeiros meses do governo Helder Barbalho, em poucos dias, já notamos resultados satisfatórios, que em quase 20 anos de PSDB não surgiam efeitos. Parabéns, Helder Barbalho, e continue neste mesmo modelo e trabalhe para trazer uma melhor qualidade de vida para os cidadãos paraenses!

 

MEU COMENTÁRIO

 

Como não poderia deixar de ser, os primeiros 45 dias do novo governo são mais de atividade física, declarações e promessas - novas ou requentadas. De fato, há muito tempo não se vê um governador com uma agenda tão cheia e uma disposição tão grande para o trabalho. Depois de ter tomado posse em três municípios (Belém, Marabá e Santarém) no mesmo dia, Helder já foi a outros tantos municípios neste período, apareceu em numerosos atos, fez múltiplas reuniões (inclusive em Brasília) e assumiu questões de grande complexidade.

 

Seu desempenho lembra um pouco o início de Sahid Xerfan como prefeito de Belém. Em cima de suas botas e envergando seu conjunto safári, ele andou pelas baixadas, avançou pela madrugada e falou sem parar. Ao ser demitido por Jader Barbalho, o mesmo governador que o nomeara um pouco antes, na época em que os prefeitos das capitais eram escolhidos por ato absolutista dos2 governadores, seu saldo apontava para muita agitação e pouca realização.

 

Helder tem lançado muitas pedras ao passado, algumas com endereço certo. Pode ser uma perda de energia. Faria melhor contratando uma auditagem externa independente, para o bem de todos e felicidade geral do Estado. Ao mesmo tempo, dá continuidade ao acervo recebido, como deveria fazer realmente, mas sem admitir essa característica, própria da impessoalidade da gestão pública.

 

No caso do BRT, se comporta como agiu Zenaldo Coutinho em relação ao que fizera Duciomar Costa. Depois de muitas críticas ao antecessor, seguiu o projeto do BRT de Belém, com alterações cosméticas. Simão Jatene deu início à execução do BRT metropolitano nos últimos dias do seu mandato. Como a verba é substancialmente federal. Helder prosseguiu imediatamente a obra, propagandeando-a intensamente antes de realizar algo mais expressivo.

 

Essa é outra característica da nova administração estadual: talvez tenha feito muita propaganda em 45 dias do que qualquer outra. O filho do senador Jader Barbalho criticou muito o tucano por uma gastança publicitária que o próprio Helder poderá superar, se mantiver a programação atual de mídia.


  • Imprimir
  • E-mail