Violência interno
Pro refis

As partituras de Sebastião Tapajós

Lúcio Flávio Pinto - 19/11/2018

A Secretaria de Cultura do Estado vai lançar um livro de partituras de Sebastião Tapajós, com o título "Sebastião Erudito, Folclórico e Popular Tapajós". Palmas para o secretário Paulo Chaves Fernandes. Sebastião é um dos maiores violonistas brasileiros, com grandeza internacional. Além de manejar o instrumento com maestria, é bom compositor. E, para arrematar, pessoa excepcional, maravilhosa. É o segundo grande músico criado em Santarém a merecer um livro de partituras, reconhecimento raro entre nós. O outro foi o maestro Wilson Fonseca, o Isoca, já falecido.


A excelente iniciativa precisa de alguns esclarecimentos. Na declaração de inexigibilidade de licitação a expressão usada é atípica: "realização" do livro, sem detalhes. Seu custo é de pouco mais de 76 mil reais. 

Acontratada é a Glafira Fonseca Lobo Gonçalves. O documento não indica o endereço da firma, como seria obrigatório, nem o nome do seu responsável. Uma consulta rápida dá a sua localização no Jurunas, em Belém. É uma firma individual, criada em 2013, de propriedade da pessoa que lhe empresta o seu nome. Sua atividade principal é a produção musical, mas tem muitas atividades secundárias, tanto culturais quanto de engenharia.


Fica-se sem saber qual o fator que justifica a inexigibilidade de licitação, deficiência da legislação que não exige a fundamentação do ato, apenas o seu enunciado.
O esclarecimento desses fatos completaria a justeza da iniciativa.


  • Imprimir
  • E-mail