Violência interno
Pro refis

Contrato de publicidade da Câmara é suspenso após MP apontar indícios de irregularidades; agência contratada nega

Portal OESTADONET - 09/11/2018

O juiz Alexandre Rizzi, da Primeira Vara Criminal de Santarém, acolheu nesta sexta-feira (9) pedido cautelar do Ministério Público para suspender a execução do contrato de publicidade firmado, em 2017, entre a Câmara Municipal de Santarém e a agência Vox Comunicação, empresa escolhida mediante tomada de preço, modalidade pregão eletrônico.

Segundo os promotores, há suspeita de irregularidades na licitação. A empresa nega que tenha sido favorecida no processo licitatório e que não esteja prestando os serviços para as quais foi contratada. A Vox alega que pratica preços com descontos, com base em tabela do Sindicato das Agências de Propaganda do Estado do Pará.

Na quinta-feira (8) houve cumprimento de mandados de busca e apreensão na sede da Vox.

Nesta sexta, o juiz determinou também que os bens do proprietário da agência, Jonas Meneses, e do fiscal do contrato, Sandro Lopes, sejam bloqueados.

O processo faz parte de mais uma fase da operação Perfuga.


  • Imprimir
  • E-mail