Camarão no pão
Cartas na mesa

Importação de fertilizantes pelo porto de Santarém cresce dez vezes em quatro anos

Weldon Luciano - 09/11/2018

O comércio de fertilizantes, insumo básico para a produção agrícola vem crescendo em Santarém, oeste do Pará. Em quatro anos, o setor viu aumentar dez vezes mais a quantidade de importação do material. Em 2014, foram pouco mais de 30 mil toneladas movimentadas no Porto da Companhia Docas do Pará (CDP), enquanto em 2018 já foram mais de 320 mil toneladas, de janeiro a outubro.

A expectativa da CDP é de que este número seja ainda maior até o fim do ano. Segundo a estimativa da Companhia que administra o terminal, levando em conta que alguns navios já confirmaram desembarque para os meses de novembro e dezembro, a quantidade pode atingir a 350 mil toneladas até o fim do ano, o que caracterizaria um aumento de 15% em relação a 2017. Os dados apresentados pela CDP apontam que em 2017 essa movimentação obteve registro de 306 mil toneladas, 13% a mais do que os dados de 2016, quando foram 272 mil.  

O fertilizante desembarcado no porto de Santarém abastece as propriedades rurais da região que são responsáveis pelas exportações de grãos de milho e soja, que estão entre as maiores do país. Segundo apurou a reportagem, pelo menos três empresas estão atuando no setor, sendo as brasileiras Master e Mega Logística, além da LDC, de origem francesa.

Segundo o diretor do Porto, José Carlos Zampietro, a importação de fertilizantes está diretamente ligada a exportação de grãos, gerando renda e emprego. “Resulta em impostos para a prefeitura e órgãos federais, além do faturamento para as empresas e para os produtores de grãos. Os navios trazem o fertilizante e levam o grão, principalmente, o milho. Essa operação resulta em benefícios para o poder público e para as pessoas que estão empregadas direta e indiretamente no setor”, conclui o diretor. 


  • Imprimir
  • E-mail