Violência interno
Pro refis

Advogado de Santarém oferece assistência jurídica gratuita a minorias que se sentirem ameaçadas

Weldon Luciano - 31/10/2018

Airton Vasconcelos, advogado em Santarém que atua em defesa jurídica de minorias ameaçadas por violência -

“Gente linda, sou advogado em Santarém. Se alguém se sentir desrespeitado por ser negro, gay, trans, drag, nordestino, eu me coloco à disposição para prestar assistência jurídica gratuita”. Esta foi uma postagem inusitada  feita nas redes sociais e que vem chamando a atenção de internautas. Ele foi feita pelo advogado Airton Vasconcelos e faz parte de um movimento nacional que vem ganhando força em estado como o Pará, São Paulo e Minas Gerais e Santa Catarina, feita de forma independente e sem fins lucrativos.

“É uma corrente e profissionais em todos Brasil que está disponibilizando alguma forma de auxílio a integrantes das minorias com a prestação de serviços que muitas vezes a eles são ignorados em delegacias, fóruns, hospitais e a gente pensou em uma forma de mudar isso com a nossa profissão. O movimento envolve advogados, psicólogos, assistentes sociais. Enquanto eu puder fazer algo por aqueles que são mais vulneráveis vamos fazer, independente do que vier como consequência”.

Militante da causa LGBT (sigla para Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais ou Transgêneros), Airton Vasconcelos tem 23 anos e é formado em direito pela Universidade Federal do Oeste do Pará (UFOPA) nascido em Santarém, mas que viveu muitos anos no município de Óbidos. Airton ressalta que o preconceito faz parte da sociedade e que é preciso combatê-lo para respeitar a diversidade cultural e de gênero  

“O país é historicamente preconceituoso desde a colonização. Temos uma consciência muito patriarcal, aonde a mulher sempre esteve abaixo do homem, sempre teve a figura do homem másculo como homem de bem e isso vem muito enraizado na nossa sociedade até hoje. No Brasil, a cada hora 19 horas um LGBTQ é assassinado, o que é uma estatística muito grave. Mas antes de vir as agressões a gente vê os xingamentos. É uma corrente de maldade que gera consequências”

Diante da escalada de violência e preconceito vista durante a campanha eleitoral e que move parte da trajetória do presidente eleito Jair Bolsonaro, o advogado vê com preocupação e teme que isso desencadeie ainda mais violência. “Aos homofóbicos incubados quando se dá um ídolo que defende essas ideias com convicção, como uma verdade absoluta elas ganham mais segurança para se mostrarem machistas, homofóbicas, misóginas, consumando um cenário de ameaças as minorias que desencadeiam ações de desrespeito e violência”.

Sobre a postagem, Airton ressalta também que ela tem o intuito de auxiliar quem por ventura tiver seus direitos desrespeitados, mas também é uma forma de fazer os preconceituosos e potenciais agressores a refletir sobre seus atos e saberem que existem mecanismos de fazer justiça a quem proceder de forma violenta contra os LGBT’s

“Essa é a sacada. Fazer uma postagem desta como advogado, delegado ou profissional ela afeta muito mais as pessoas preconceituosas do que as pessoas que sofrem o preconceito. As pessoas que agem desta forma se aproveitam daqueles que não possuem nenhum aparato ou chance de se defender. Quando ela vê que tem uma postagem como esta que existem pessoas que podem defender essas pessoas, ela já pensa duas vezes antes de cometer algum desrespeito ou violência. Até o momento ninguém ligou para solicitar a ajuda, mas aqueles que procurarem, nas minhas atribuições que me conferem como advogado e como militante da causa estarei à disposição”, conclui Airton.


  • Imprimir
  • E-mail