Camarão no pão
Cartas na mesa

Policia Civil cede delegado Jardel ao Detran e diz que não tem efetivo para Alter do Chão

Portal OESTADONET - 02/08/2017

Créditos: Delegacia de Policia de Alter do Chão não tem delegado, mas policia cede Jardel Guimarães ao Detran.

O delegado Jardel Guimarães(PTN) fez campanha em defesa da segurança pública para conquistar votos. Mal se elegeu, o vereador se afastou do cargo na Polícia Civil para se transferir para o Detran em Santarém, onde deveria cumprir expediente à tarde, mas nesse período o órgão está fechado. Enquanto isso, o distrito de Alter do Chão, que enfrenta uma explosão de criminalidade, está com a delegacia de polícia sem delegado e escrivão.

Se Jardel estivesse na ativa na polícia, o delegado poderia ser escalado pelo delegado regional Gilberto Aguiar para atuar na vila de Alter do Chão. Mas, contraditoriamente, alegando falta de pessoal para justificar o não funcionamento da delegacia da vila, o chefe regional da Polícia Civil concordou com a remoção de Jardel ao Detran. Se faltam policiais para delegacias, sobram para o órgão de trânsito que já está abarrotado de servidores.

No último sábado, moradores de Alter do Chão fizeram um protesto para cobrar uma ação efetiva da polícia para combater a onde de assaltos e arrombamentos que estão ocorrendo na vila balneária. Segundo os coordenadores do movimento de protesto, só este ano mais de 30 ocorrências foram registradas, sem que os inquéritos policiais em sua maioria tenha se iniciado para as devidas investigações.

Mas o que chamou atenção, durante sessão de terça-feira(1), na Câmara de Vereadores de Santarém, foi assistir ao vereador Jader Guimarães usar a tribuna para criticar a onda de violência em Alter do Chão. Logo, ele, cuja primeira coisa que fez foi se afastar da polícia, tão logo se elegeu. Ao ser cedido ao Detran, seu cargo fique indisponível, impedindo que, em seu lugar, outro delegado seja nomeado para a função.

Segundo o Boletim da Câmara, o vereador Jardel apontou que, embora a segurança seja uma política pública prevista na constituição como de responsabilidade especialmente do governo estadual, o município não poderia se eximir de atuar. Segundo ele, o governo municipal estaria inerte diante da violência que tem assolado o distrito de Alter do Chão.


  • Imprimir
  • E-mail