Banpara energia solar


Homem que foi o pivô do duplo homicídio no Cipoal é parente das vítimas

Portal OESTADONET - 15/05/2024

 



O duplo homicídio ocorrido no último domingo (12), na comunidade Cipoal, no planalto santareno, em Santarém, oeste do Pará, e que teve como vítimas Pedro Farias de Sousa e Emerson Sousa, pai e filho, ainda não está devidamente esclarecido. A motivação do crime é um dos pontos a serem esclarecidos pela Delegacia Especializada de Homicídio. Um terceiro suspeito de ter invadido a casa dos acusados do crime deverá ser ouvido ainda esta semana, porém, na condição de testemunha do caso. A apuração é do Portal OESTADONET.

 

Essa terceira pessoa é parente próximo de Emerson Sousa e de Pedro Farias. Ele teria sido o pivô de toda a confusão, que começou com um racha na BR-163, e terminou com a invasão da residência de Rick Marly e Alan Patrick e, consequentemente, no duplo homicídio de pai e filho. As vítimas foram mortas a pauladas e golpes de outros objetos cortantes.

 

O Portal OESTADONET apurou que o suspeito está sendo investigado por que supostamente teria participado da invasão da residência de um dos acusados. Porém, ele não aparece nas imagens que circularam nas redes sociais no dia do crime. 

 

A invasão do imóvel de um dos acusados pelas vítimas Emerson Sousa e Pedro Farias aconteceu depois que eles foram tomar as dores do suspeito que se envolveu no racha, e que terminou com um veículo incendiado. Ele conseguiu escapar ileso. 

 

Nesta terça-feira (14), os irmãos Rick Marly e Alan Patrick se apresentaram espontaneamente à polícia e depois de prestar depoimento foram liberados. A exposição na imprensa e nas redes sociais da dupla tem atrapalhado as investigações. Durante a presença deles na delegacia, por exemplo, um dos acusados fez uma live ( transmissão pela internet ) e tentou atrair para si a opinião pública, alegando que estão sendo alvos de ameaças de mortes e que temem pela própria vida.

 

À delegada Raíssa Beleboni os acusados disseram que agiram em legítima defesa, versão que está sendo apurada pela polícia. Algumas testemunhas já foram ouvidas, mas ainda há outras pessoas para prestarem depoimento.

 

Como não havia mais flagrante, Rick Marly e Alan Patrick foram liberados. Mas eles ainda podem a vir a ser presos, porém, somente por determinação judicial.

 

Para a polícia, entender a dinâmica que ocorreu antes do duplo homicídio, durante o racha é essencial para o esclarecimento das pontas soltas nesse caso, que teve ampla repercussão e ganhou contorno midiático dada à exposição dos acusados nas redes sociais e veiculação na imprensa.

 

A polícia quer saber em que momento, após o racha, o trio decidiu pela invasão à residência de Rick Marly e Alan Patrick e sob qual pretexto tentaram contra a vida da mulher e filha dos acusados. O local do encontro teria sido um campo de futebol, apurou a reportagem do portal.

 

A oitiva desse familiar das vítimas deve ocorrer ainda esta semana.

 

O inquérito instaurado pela polícia investiga até o momento o duplo homicídio e, portanto, o suspeito será ouvido na condição de testemunha.




  • Imprimir
  • E-mail