BANPARÁ BIO 2
Alfabetiza junho

Ufopa inicia novo estudo de balneabilidade nas praias de Santarém

Sílvia Vieira, Repórter de O EstadoNet - 13/05/2016

Créditos: Laboratório de Biologia Ambiental da UFOPA realiza, a partir deste domingo,coleta de água para estudo de balneabilidade nas praias de Santarém, como Alter do Chão

Sob o comando do professor Reinaldo Peleja, coordenador do Laboratório de Biologia Ambiental, da Ufopa (Universidade Federal do Oeste do Pará), inicia no próximo domingo (22), o terceiro estudo de balneabilidade do Programa Municipal de Monitoramento da Qualidade das Águas em Santarém.

O primeiro foi realizado em seis pontos da praia de Alter do Chão, no período de enchente do ano passado, e o resultado indicou qualidade Própria/Excelente. O segundo estudo aconteceu no período da estiagem, com as coletas sendo realizadas nos meses de novembro e dezembro, desta vez não somente em Alter do Chão, mas abrangendo também da Ponta do Muretá até a Praia do Maracanã, e o resultado da balneabilidade repetiu a classificação Própria/Excelente.

No terceiro estudo, segundo o secretário municipal de Meio Ambiente, Podalyro Neto, serão feitas as coletas novamente em Alter do Chão, Ponta do Muretá, e nas praias Ponta de Pedras, Pajuçara e Maracanã, com geração de relatório e disponibilização das informações, inclusive com mapeamento das praias, no site da Prefeitura Municipal de Santarém, para conhecimento público.

“Nós queremos saber como está a qualidade da água na Ponta do Muretá que é o limite entre Santarém e Belterra; nos seis pontos de Alter do Chão; Ponta de Pedras; Pajuçara e Maracanã. Essas praias, com exceção da Ponta do Muretá, são as de maior fluxo de banhistas. Nós queremos avançar nos estudos dentro do Programa Municipal de Monitoramento da Qualidade das Águas, para dar segurança aos usuários sobre a qualidade da água para uso na recreação e lazer, e também para levar essa informação aos turistas dentro do Plano de Desenvolvimento do Turismo”, explicou.

Podalyro ressaltou que todo o processo, desde a coleta das amostras até a tabulação dos dados, segue rigorosamente os parâmetros estabelecidos pela Resolução 274/2000 do Conama (Conselho Nacional de Meio Ambiente) que estabelece os padrões da água para o uso no lazer e recreação, considerando que a saúde e o bem-estar humano podem ser afetados pelas condições de balneabilidade.

Desde ano passado, o município o compromisso de avaliar a condição de balneabilidade das suas principais praias, duas vezes ao ano, sendo uma vez no período de enchente e outra na vazante, analisando a densidade de bactérias em um conjunto de amostras coletadas por cinco semanas consecutivas.

Para o monitoramento da balneabilidade utiliza-se como microorganismo indicador de contaminação a Escherichia coli que, embora não seja, de modo geral, patogênica, sua presença na água evidencia poluição recente de origem exclusivamente fecal humana ou de animal.

A balneabilidade é entendida como qualidade das águas destinadas à recreação de contato primário, sendo este contato direto e prolongado onde há possibilidade de ingerir quantidade significativa de água. Por isso se faz necessário o monitoramento periódico das praias para saber se as águas estão ou não próprias para banho.

A Resolução 274/2000, do Conama atribui quatro categorias de classificação da água de praia: Excelente, Muito boa, Satisfatória e Imprópria. As três primeiras correspondem à condição Própria para banho.




  • Imprimir
  • E-mail