Verão julho

Plantações de soja ocuparão 60 mil hectares de terras em Santarém e região

Sílvia Vieira, Repórter de OEstadoNet - 24/11/2015

Região do planalto santareno deve atingir 60 mil hectares de grãos plantados na safra 2016 -

Enquanto a chuva não vem, produtores de grãos de Santarém e dos municípios de Belterra, Mojuí dos Campos e Novo Progresso, ao longo da Br-163, até os limites com Uruará, na rodovia Transamazônica, preparam suas terras para o plantio da safra 2016, que somente com soja ocupará um área de 60 mil hectares.

Primeiro o produtor planta a soja, depois o milho, e por último, arroz. O milho será plantado em cerca de 35 mil hectares e o arroz ocupará apenas 2 mil hectares de área plantada.

A reportagem do portal OEstadoNet levantou que para a safra 2016, os produtores de soja investirão o valor de 35 a 42 sacas do produto em cada hectare de terra cultivado. Na cotação atual, a saca de soja é vendida a R$ 64,00.

Ou seja, mais da metade do que colhe, uma média de 50 sacas por hectare, o produtor gasta para preparar a terra, semear e cuidar da plantação.

No caso do milho, o produtor gasta 24 sacas para colher outras 70 sacas por hectare. Já no caso do arroz, a pequena área a ser plantada se justifica na falta de abertura do mercado para o arroz regional. Os compradores dão mais valor ao arroz industrializado que vem de outras regiões do país.

Para a soja plantada no planalto santareno, o cultivo injeta cerca de R$ 120 milhões no comércio de Santarém e região, o milho R$ 60 milhões e o arroz R$ 6 milhões, com a compra de sementes, defensivos agrícolas, mão de obra, aluguel de máquinas e arrendamento de áreas para plantio.

Safra 2015

Apesar do volume de chuvas na região ter sido muito menor que o esperado, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) estima que a produção de cereais, leguminosas e oleaginosas da Região Norte deve fechar 2015 com aumento de 21,5% em relação à safra de 2014. Até dezembro deste ano, a expectativa é de um volume total de 7,2 milhões de toneladas em grãos.

De acordo com o IBGE, apesar de liderar a porcentagem de aumento na produção de grãos no país, a Região Norte ainda tem a menor participação no montante total brasileiro. Com estimativa 210,4 milhões de toneladas este ano, a safra 2015 brasileira deve ter alta de 8,8%. Destes, o Centro-Oeste representa 89,6 milhões de toneladas; Sul, 77,6 milhões de toneladas; Sudeste, 18,8 milhões de toneladas; e Nordeste, 17,3 milhões de toneladas. 

Em comparação com a produção de 2014, o aumento de 21,5% na safra do Norte coloca a região na liderança de expansão do setor, seguida pelo Nordeste e Sul, com 9,6% cada um, 8% na região Centro-Oeste e 4,7% no Sudeste. Mato Grosso segue como maior produtor nacional de grãos, com participação de 25% no saldo total brasileiro.

Em nível nacional, o arroz, o milho e a soja são os três principais produtos da safra: somados representam 92,5% da estimativa da produção, respondendo por 86,4% da área a ser colhida. Em relação a 2014, houve acréscimos de 6% na área da soja, de 0,9% na área do milho e redução de 5,5% na área de arroz. No tocante à produção, houve acréscimos de 3,4% para o arroz; 12,2% para a soja e de 7,3% para o milho. 




  • Imprimir
  • E-mail