BANPARÁ BIO 2
Alfabetiza junho

Procon fará trabalho de orientação junto a barraqueiros e comerciantes de Alter do Chão

Sílvia Vieira, Repórter de O Estado do Tapajós - 09/09/2015

Numa parceria entre Estado e Município, agentes de fiscalização Procon estarão visitando as barracas da Ilha do Amor, Praia do Cajueiro e demais estabelecimentos que comerciais da vila balneária de Alter do Chão, a partir da próxima segunda-feira (14), para orientá-los no sentido de que não pratiquem abuso de preços durante a festa do ÇairéTambém será uma oportunidade para orientar o consumidor para que este possa exigir na aquisição e produtos e serviços, os direitos básicos com relação ao que está sendo vendido e as formas de pagamento.

Tem questões básicas que precisam ser observadas pelas barracas, bares e restaurantes como tabela de preços à mão para que o consumidor tenha facilidade para visualizar quanto custa cada item do cardápio e as formas de pagamento. Em relação ao preço, não cabe ao Procon dizer se está caro ou barato determinado produto, mas a gente sempre orienta para que o preço cobrado seja justo, para que se evite o exagero”, informa Silvânia Melo, coordenadora do Procon Municipal.

Silvânia lembra que quem determina o preço do produto é quem está ofertando. Do mesmo modo, o consumidor tem o livre direito de escolha. E quem cobra mais caro corre o risco de espantar a clientela e ficar no prejuízo.

O que faz o preço é a lei da procura e da oferta. O consumidor tem que ser informado antecipadamente quanto custa o produto e a forma de pagamento, para que ele possa escolha se quer continuar naquele ambiente e fazer ali o seu consumo ou se vai procurar outro lugar onde o preço esteja mais condizente com o seu orçamento”ressalta Silvânia.

Segurança alimentar

Em relação a qualidade dos alimentos que serão ofertados durante o Çairé, a Divisão de Vigilância Sanitária do município de Santarém, estará na vila de Alter do Chão, também na próxima semana percorrendo os estabelecimentos comerciais e as barracas para verificar procedência dos produtos, modo como estão sendo acondicionados e prazo de validade. A medida visa garantir a segurança alimentar dos consumidores. 

Se a fiscalização flagrar produtos fora do prazo de validade ou acondicionados de maneira incorreta fará o recolhimento imediato.




  • Imprimir
  • E-mail