BANPARÁ BIO 2
Alfabetiza junho

Carlos Martins vai receber R$ 130 mil por mandato de menos de 30 dias

02/01/2015

O primeiro suplente de deputado federal Carlos Martins(PT) que já assumiu a vaga que foi aberta com a renúncia do mandato do deputado Zequinha Marinho(PSC), empossado vice-governador do Pará, ontem, terá a sua disposição, entre vencimentos, verba para manutenção de gabinete e pagamento de pessoal, além de auxilio moradia, cerca de R$ 130 mil reais para atuar durante o recesso do Congresso Nacional, em janeiro de 2015.

Após tomar posse, perante o vice-presidente da mesa da Câmara, deputado federal Arlindo Chinaglia(PT), Carlos Martins terá os mesmos direitos dos parlamentares, cujo mandato se encerrarão no dia 31 de janeiro. Essa farra com o dinheiro público, ocorrida no final da legislatura passada, por causa da eleição de um número elevado de parlamentares para cargos no executivo, levou a presidência do Congresso Nacional a estudar medidas para vetar a posse de deputados e senadores, durante o recesso parlamentar. Mas a medida não vigorou.

Uma Proposta de Emenda Constitucional(PEC), que veta que suplente seja convocado para assumir cargo por período inferior a 30 dias em lugar do titular que se licenciar para assumir cargo eletivo, ainda não foi apreciada pelo plenário do Congresso.

A resolução seria instituída para proteger assessores dos deputados que precisam se licenciar do cargo pelo prazo máximo de 30 dias, evitando que eles sejam dispensados pelo suplente e fiquem sem salários de uma hora para outra.

Para atuar em apenas 22 dias úteis de janeiro de 2015, Carlos Martins receberá verba de representação no valor de R$ 75 mil, para pagamento de assessores, R$ 26,5 mil de vencimentos, R$ 27 mil para despesas de manutenção do gabinete, o que inclui passagens aéreas, telefone e correios, e auxilio moradia de R$ 3,5 mil.

 




  • Imprimir
  • E-mail