cartão afinidade banpara abril 2024

Compra de gás de cozinha sob suspeita no município de Alenquer, no Pará

Portal OESTADONET - 21/03/2024

Créditos: Imagem ilustrativa

 

A aquisição de gás liquefeito de petróleo (GLP), o gás de cozinha, pela Prefeitura de Alenquer, no oeste do Pará, está levando suspeita da população no município e pode ser alvo de apuração também do Ministério Público do Estado do Pará (MPPA). Conforme apurou o Portal OESTADONET, há suposto sobrepreço de produtos, indícios de favorecimento e possível ato de improbidade administrativo.

 

Um dos detalhes que chama a atenção é o fato de as maiorias das empresas que participam da licitação para este serviço ser de fora do município e até do estado do Pará. E mesmo a cidade tendo pelo menos dez empreendimentos que comercializam o produto, nenhuma empresa local consegue vender para a Prefeitura. 

 

Não é de hoje que a compra de gás de cozinha pela Prefeitura vem sendo questionada. No ano passado, por exemplo, foi realizado um pregão eletrônico cuja empresa vencedora possui sede no município de Monte Alegre, distante mais de 100 quilômetros de Alenquer. 

 

A Alano Linhares Batista e Cia Ltda., venceu a licitação para fornecer gás de cozinha à Prefeitura pelo valor unitário de R$ 145,00. Nas distribuidoras locais, o mesmo produto é encontrado pelo valor de R$ 115,00.

 

A empresa já havia sido contratada em março de 2022, com dispensa de licitação, para fornecimento por 12 meses, de GLP ao preço de R$ 125,00.

 

A logística para a entrega do produto, no caso da empresa monte alegrense, é mais onerosa para os cofres públicos. Contudo, a distância geográfica não é um impedimento para a Prefeitura de Alenquer.

 

Apesar de Alenquer possuir mais de 10 depósitos de revenda de gás, a cotação de preços foi realizada com duas empresas de venda de combustíveis da cidade de Anajás, na ilha do Marajó e apenas uma empresa de Alenquer, que cotou a carga de 13 quilos a 125,00.

 

Nesta licitação, duas empresas de fora do estado participaram do certame. A Faco Projetos e Construção e a LCA Comercial e Sistematização Ltda., ambas localizadas no município de Itapeva, no interior de São Paulo, e que atuam na área da construção civil e não possui nem como atividade secundária, habilitação para a venda de gás. 

 

A empresa Yared Comércio Ltda., e Alenquer, que havia cotado o gás em R$ 125,00 simplesmente não apresentou propostas para GLP, concorrendo apelas no quesito ‘Água Mineral’, sagrando-se vencedora na disputa com as mesmas empresas que ofertaram proposta para o item ‘Gás de Cozinha’.

 

A reportagem tenta contato com a prefeitura de Alenquer. Assim que a administração municipal se manifestar, esse texto será atualizado.




  • Imprimir
  • E-mail