banpara LCI julho 2024
Verão julho

Atirador que matou sogra e filho recém-nascido e baleou esposa em Santarém(PA) usou pistola registrada, comprada em 2022, mas não tinha porte de arma

Portal OESTADONET - 22/01/2024

O homem que matou a sogra e o filho recém-nascido, além de atirar na mulher e na cunhada, crimes ocorridos na noite do último dia 29, no bairro Maracanã, em Santarém, no oeste do Pará, não tinha porte de arma. Waldiney Cury, de 46 anos, tinha autorização para possuir arma em casa e no trabalho, segundo apurou o Portal OESTADONET.

 

Morre bebê que foi baleado pelo pai no bairro Maracanã; em ataque de fúria, homem matou a sogra, atirou na esposa, cunhada e no filho

 

A arma usada nos crimes foi uma pistola Glock G17 com capacidade para 18 tiros e custou R$ 10.845,00. Ela foi adquirida 06 de dezembro de 2022, em uma empresa de armas localizada na avenida Iruará, no bairro Aparecida, em Santarém, conforme consta na nota fiscal obtida com exclusividade pelo Portal OESTADONET.

 

 

 

 

 

 

A arma está registrada até 2028. Waldiney Cury, no então, não tinha autorização para o transporte da pistola, que estava vencida. 

 

 

 

 

 

 

As vítimas da tragédia, Karen Luana Bentes, de 25 anos, e a irmã dela, Maiara Karolina Santos, 26 anos, deverão ser ouvidas pela delegada Raíssa Beleboni, da Especializada de Homicídios de Santarém, nos próximos dias, para esclarecerem o que de fato ocorreu no dia do crime.

 

As informações preliminares indicam que o atirador chegou em casa e, após uma discussão com a esposa Karen, começou a atirar contra a família, que estava no interior da residência, localizada na rua Anísio Farias, no bairro Maracanã.

 

Valdiney Cury disparou contra a sogra Kátia Silene Ramos, 42 anos, atingida na cabeça e que morreu no local. A esposa dele Karen Luana Bentes, foi atingida nas costas. A cunhada Maiara Karolina Santos levou um tiro na perna. Ambas continuam internadas. O filho dele, um recém-nascido de apenas dois dias de vida, também foi atingido e morreu na manhã de sábado (20), no centro cirúrgico do hospital municipal.

 


Com a mesma arma que tentou tirar a vida da família, Waldiney se matou com um tiro na cabeça.

 

A polícia segue as investigações para tentar entender a motivação dessa tragédia, que abalou a população santarena no fim de semana. Aparentemente, o casal vivia uma vida tranquila e estava feliz com a chegada do pequeno Asafé, vítima do pai atirador.




  • Imprimir
  • E-mail