Verão julho

Ponta Negra e Ponta do Cururu podem ser transformadas em unidade estadual de conservação

Portal OESTADONET, com informações da PMS - 06/09/2023

Encontro dos rios Amazonas e Tapajós, em frente a Santarém - Créditos: Divulgação/PMS

Santarém, no oeste do Pará, poderá ganhar duas novas unidades de conservação de gestão estadual no município. Estão em análise pelo Instituto de Desenvolvimento Florestal da Biodiversidade do Estado do Pará (Ideflor-Bio), duas áreas pretendidas pelo Estado para criação de Unidades de Conservação no grupo de uso sustentável, na categoria Área de Relevante Interesse Ecológico – ERIE.

 

A primeira contempla a área da Ponta Negra, no encontro das águas dos rios Tapajós e Amazonas, na frente da cidade, e a outra na ponta do Cururu, em Alter do Chão.

 

 


Ponta do Cururu, em Alter do Chão

 

 

Durante visita dos técnicos do IdeflorBio a Santarém, foram também apresentados relatórios apresentados pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semma), solicitando a criação do primeiro parque municipal e a recategorização da APA do Juá. 

 

Uma equipe composta por representantes da Semma, do Ideflor e da 1ª Companhia de Policiamento Ambiental (1ª CipAmb), esteve coletando dados na área da Rocha Negra e na Área de Proteção Ambiental (APA), do Juá.

 

A equipe passou quatro dias coletando materiais com a finalidade de obter um diagnóstico das áreas, em seus atributos físicos, biológicos e socioeconômico, requisitos que compõem as etapas de criação de Unidades de Conservação.

 

Na área do Parque Municipal da Rocha Negra, houve o estudo socioeconômico do meio físico e biológico. Os moradores do entorno responderam a questionários aplicados pelos técnicos e foram feitos georreferenciamentos de algumas nascentes, além de coletas de amostras do solo, partes de alguns vegetais e alevinos. Os resultados dessa etapa serão apresentados em relatórios futuros e em consulta pública.

 

Na APA do Juá, o foco foram as áreas de influência como o lago, igarapé, as nascentes e praias. Lá, os moradores também responderam a questionários. Para o diagnóstico preciso da área, foram coletados materiais de origem vegetal. O estudo será finalizado com levantamento fundiário e análise temporal, com auxílio de ferramentas de geoprocessamento.

 

A criação de novas Unidades de Conservação, em especial do Parque Municipal Rocha Negra, reforça o compromisso dos governos do Pará e do município com o bem-estar da cidade e da população, afinal, os parques urbanos são opções mais sustentáveis para combater a ilha de calor e a poluição. 

 

As árvores e a vegetação, além de produzirem oxigênio, ajudam a regular a temperatura e a umidade, reduzem a radiação ultravioleta e o ruído do tráfego. O espaço, também, será utilizado para o relaxamento e a prática de esportes.




  • Imprimir
  • E-mail