Banpara energia solar


Os “líderes empresariais” da Amazônia

Lúcio Flávio Pinto - 01/08/2023

Os paraenses devem ter sido surpreendidos por um anúncio de página inteira”, publicado na imprensa paraense. A Ampla, “uma organização representativa da liderança da região Norte”, saúda “líderes unidos pelo desenvolvimento da Amazônia”.

 

Mesmo desconhecida, a organização declara que seu propósito é o “desenvolvimento econômico e social” da região. Para isso, promoveu uma aliança “de líderes empresariais e sociais comprometidos com a construção de um ambiente favorável para novos negócios e com a prosperidade do nosso povo”.

 

Para “fazer a diferença”, constituiu um conselho, “formado por atores transversais, para influenciar políticas públicas e dialogar como protagonistas do cenário nacional e mundial”. Juntos, podemos construir um futuro mais promissor e justo para todos”.

 

O Conselho é integrado pelo fundo da mineradora Vale, a dona de Carajás, pelo Instituto Clima e Sociedade e pelo Climate and Land Use Alliance.

 

Essa descrição, contudo, não pode ser aplicada à esmagadora maioria dos 37 líderes apresentados no anúncio, incluindo os fundadores da Ampla: André Godinho, Eduardo Brasil e Giuseppe Mendes, este último presidente do Instituto de Gestão Previdenciária do Estado.

 

O mais notório dos tais líderes empresariais é Giovanni Maiorana, filho de Romulo Maiorana Júnior, do grupo Liberal, justamente por representar exatamente o oposto das qualidades de homens públicas exaltadas no anúncio.


Cinco anos atrás, com visíveis sinais de embriaguez, ele atropelou e matou um rapaz e uma moça, depois de perder a direção do seu carro, que dirigia em alta velocidade, em alta madrugada, por uma das ruas centrais de Belém.
 

Apesar dessas circunstâncias, o Ministério Público estadual não reconheceu a ocorrência de crime doloso contra a vida, impedindo que o processo fosse remetido para o tribunal do júri, conforme despacho de maio deste ano do juízo da 2ª vara criminal de Belém. Apesar de cobrado pelo juízo, até hoje o MPE não ofereceu denúncia contra Maiorana, deixando de promover a instauração da ação penal e deixando o autor das duas mortes solto. Em abril, o juiz criminal já intimara o procurador geral de justiça, Cesar Mattar Júnior, que não respondeu.

 

Outro integrante da família Maiorana que participa do grupo é Calilo Kzam, filho de Rosângela Maiorana e Calilo Kzam Neto. Leandra Bisi Priante é esposa do deputado federal José Priante, do MDB.




  • Imprimir
  • E-mail