Banpara bio maio


Jader Filho anuncia ampliação do financiamento com FGTS do Minha Casa Minha Vida; conselho do fundo suspende cobrança de dívidas, temporariamente

Portal OESTADONET - 28/07/2023

Ministro das Cidades Jader Filho - Créditos: Divulgação

O ministro das Cidades, Jader Filho (MDB), anunciou nesta quarta-feira (26), a ampliação do orçamento da habitação para R$ 96,96 bilhões em 2023. Com isso, cerca de 500 mil famílias vão poder realizar o sonho da casa própria por meio do programa Minha Casa Minha Vida. É o maior orçamento para a área da habitação nos últimos sete anos.

 

A reformulação do orçamento de aplicações referente ao exercício de 2023 proposta pelo Ministério das Cidades foi aprovado na última terça-feira (25), pelo Conselho Curador do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (CCFGTS).

 

Foi aprovada suplementação orçamentária de R$ 28,86 bilhões para a área de Habitação. Com orçamento inicial de R$ 68,10 bilhões, a área passará a contar com R$ 96,96 bilhões para o exercício de 2023.

 

Segundo Jader Filho, a iniciativa vai permitir que quase 500 mil famílias tenham acesso ao programa e possam financiar um imóvel. São 100 mil famílias a mais do que no ano passado. O ministrou também falou do impacto positivo que a medida irá causar, pois serão criados cerca de 2,3 milhões de empregos diretos e indiretos.

 

"Isso permitirá que 488 mil famílias realizem o sonho da casa própria por meio do financiamento oferecido pelo programa habitacional este ano, cem mil famílias a mais do que no ano passado. Vai criar um sistema muito positivo, gerando cerca de 2,3 milhões de empregos, além de movimentar toda a cadeia produtiva", afirmou o ministro das Cidades, Jader Filho.

 

O orçamento aprovado beneficiará as famílias que adquirirão a moradia com recursos do Fundo nos diversos programas oferecidos, bem como as empresas do ramo da construção civil que tomam crédito para a produção de empreendimentos.

 

Segundo a pasta, as “alterações atenderão a uma demanda grande do mercado e a meta fixada pelo presidente da República de contratar 2 milhões de unidade habitacionais populares até 2026, além de outros resultados favoráveis”.

 

O Conselho Curador do FGTS também aprovou a suspensão temporária na cobrança de parcelas de financiamento de programas como o Minha Casa Minha Vida para famílias que estão com dificuldades financeiras para manter o pagamento em dia. 

 

A pausa nas prestações é uma ótima oportunidade para que as famílias organizem as finanças. 

 

A estimativa é que a pauta temporária de seis meses no pagamento das parcelas contemple cerca de 700 mil famílias. Mas a medida vai beneficiar apenas beneficiários do programa que se enquadrem na faixa 1, ou seja, aqueles que ganham até R$ 2.640.

 

Os interessados em pausar o financiamento devem procurar o banco onde assino o contrato e fazer a negociação.

 

A pasta reforça que não se trata de um perdão da dívida, mas apenas uma pausa para que o credor respire e coloque o bolso em dia. 

 

É bom esclarecer ainda que o valor das parcelas não quitadas, durante o período, será remanejado para o saldo devedor.




  • Imprimir
  • E-mail