pms fev 2024 exploração sexual


Por causa do alto preço das passagens aéreas, julho teve baixa ocupação de hotéis e pousadas em Alter do Chão: expectativa de lotar hospedagem na vila é para setembro

Portal OESTADONET - 25/07/2023

Alter do Chão no início da vazante do rio Tapajós, em julho de 2023 - Créditos: Fernanda Santos. 21.07.2023

A expectativa dos donos de hotéis e pousadas da vila em relação ao Çairé deste ano é de ocupação total de todos os leitos disponíveis da rede hoteleira. Para setembro, as vagas já estão quase todas esgotadas. O Çairé será realizado no período de 14 a 18 de setembro. “Em relação ao Çairé, a ocupação está boa. Mas ela acontece independente de passagens aéreas, pois a maioria das pessoas se programa com antecedência ou é um consumo de turistas regionais, sobretudo Manaus e Belém. A ocupação está acima das expectativas para este ano”, disse Pedro Paulo Bucalle, proprietário de um hotel na vila.

 

Neste mês das férias, a movimentação de turistas visitando a vila balneária foi aquém das expectativas dos empreendedores do setor hoteleiro. A taxa de ocupação total nesse período foi bem menor em relação aos outros períodos. Há vários fatores que contribuíram para a baixa na ocupação de leitos em Alter do Chão nas férias de julho. Um desses fatores é o valor das passagens aéreas para a região, que afugentou o turista de outros estados que geralmente migram para a Amazônia, em especial para Santarém, nesta época do ano. 

 

Segundo empresário Pedro Paulo Buchale, a ocupação de julho foi muito abaixo do esperado. "Não tem como você trazer as pessoas par Santarém ao valor que estão as passagens aéreas hoje", disse. 

 

Ele explicou que para o período do Çairé foi uma ocupação regionalizada com a circulação de turistas vindos de cidades circunvizinhas e algumas cidades do sul e sudeste, com as pessoas que compraram passagens há muito tempo por um valor acessível.

 

Mas a temporada turística na comunidade deve ser impulsionada com a aproximação do Çairé e também com a alta do Verão Amazônico quando a região estará com mais praias à disposição dos veranistas. A temporada de cruzeiro é outro ponto animador para os empreendedores de Alter. 

 

Na semana passada, a Secretaria Municipal de Turismo (Semtur), apresentou o calendário de navios de cruzeiro que aportarão no município ainda este ano. 

 

Já o presidente do Conselho Comunitário de Alter do Chão, Mauro Vasconcelos, fez uma avaliação positiva da movimentação na vila balneária neste mês. Segundo ele, no último final de semana, no distrito, notou-se a presença de muitos visitantes. Tanto de pessoas vindas de outras cidades quanto dos próprios santarenos que estão aproveitando o período de férias.

 

“Tivemos atração culturais, passeios turísticos, barracas atendendo os turistas bem nas praias, oferecendo o melhor da gastronomia local. Alter do Chão é um misto de magia e turismo. Precisa de maior investimento e atenção do Poder Público”, disse.

 

“Nós não tínhamos nenhum banheiro químico para atender os turistas. Os ônibus lotados no terminal. A Cosanpa danificou ruas com as obras de instalação de canos e tubulação. Não fez o recapeamento asfáltico e causou um transtorno grande para motoristas e pedestres”, destacou o presidente do Conselho Comunitário.

 

Para Mauro Vasconcelos, na vila, a expectativa para o Çairé 2023 é boa. “Sempre foi o carro-chefe de Alter do Chão em relação à cultura. Desde a década de 70, a festa tornou a vila famosa e alavancou o turismo e o artesanato. A gente sempre se enche de expectativa nesta época do ano. Estamos aguardando um bom público. Mas é bom ressaltar que o Çairé envolve muita coisa, tem toda uma estrutura por trás e esperamos que o Poder Público faça sua parte", observou.

 

A preocupação da maioria das pessoas que atuam no segmento turístico na vila é com a demora na divulgação da programação oficial do Çairé 2023. Mauro Vasconcelos lembrou que é preciso um esforço coletivo para que a comunidade receba as ações necessárias para atender tanto a comunidade quanto aos turistas e visitantes que chegam à vila a partir de setembro para prestigiar o evento. 

 

“Ainda não temos informações sobre repasses para os botos, atrações musicais e outros investimento. Isso é preocupante, pois já estamos quase em agosto e ainda não temos nada definido oficialmente. A Secretaria Municipal de Cultura (Semc) ainda não anunciou a programação da festa”, finalizou.




  • Imprimir
  • E-mail