Verão julho

OCDE aponta falhas na verificação de informações sobre boas práticas socioambientais da soja comprada pela Cargill

O Estado de São Paulo - 04/05/2023

Terminal graneleiro da Cargill em Santarém - Créditos: Arquivo

A Cargill é alvo de denúncia na Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), sob acusação de suposta violação de diretrizes da OCDE por conta de falhas na aplicação de políticas de due diligence socioambiental (auditoria de informações para atestar a execução de boas práticas na área) em sua cadeia de fornecimento de soja no Brasil.

 

Procurada pela reportagem, a empresa ainda não respondeu sobre a acusação. Assim que ela fizer, este texto será atualizado.

 

A organização ClientEarth apresentou as denúncias ao Ponto Nacional de Contato da OCDE nos Estados Unidos, país-sede da companhia, alegando que as operações de soja da Cargill no País estariam associadas ao desmatamento e violações dos direitos de comunidades tradicionais dependentes da floresta. 

 

As falhas apresentadas apontariam que a empresa não está realizando verificações adequadas de due diligence dos seus fornecedores de soja, nem da soja de empresas terceiras que passam por seus terminais portuários e do impacto das suas operações na mudança indireta do uso da terra. A ClientEarth também acusa a Cargill de falhar na aplicação de due diligence da soja proveniente do Cerrado e da Mata Atlântica..

 

“O desmatamento da Cargill e as falhas nos direitos humanos aumentam o risco de que o frango e a carne vendidos em supermercados em todo o mundo tenham sido criados com a chamada soja ‘suja’”, afirmou a ClientEarth em comunicado.

 

Com a denúncia, a organização pretende que a Cargill aprimore suas políticas de due diligence em linhas com os padrões internacionais para minimizar os riscos socioambientais da sua operação de soja no Brasil, principalmente em relação ao desmatamento e violações de direitos humanos.  “É do interesse da Cargill começar a lidar adequadamente com o impacto das suas atividades nas pessoas e no planeta.”

 

A Cargill no Brasil registrou uma receita operacional líquida de R$ 125,8 bilhões em 2022, crescimento de 22% em relação ao ano anterior. O avanço foi puxado pelo aumento de volume na exportação de milho e no esmagamento de soja, em um cenário de altos preços das commodities comercializadas pela companhia.




  • Imprimir
  • E-mail