Alfabetiza junho

Produtor rural é multado pelo Ibama em mais de R$ 1 milhão por intoxicação de alunos de escola pública de Belterra

Portal OESTADONET - 07/03/2023

Uma plantação de soja fica próximaà Escola Vitalina Motta, em Belterra, - Créditos: Divulgação/Ibama

Um produtor rural do município de Belterra, no oeste do Pará, foi multado em mais de R$ 1 milhão por uso irregular de agrotóxicos em plantação de soja, que causou a intoxicação de alunos e professores de uma escola da rede pública. Em janeiro deste ano, o Instituto de Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama) constatou a prática nociva às pessoas e realizou oito notificações. No mês seguinte, mais 30 notificações por intoxicação à mesma propriedade foram feitas pelo órgão ambiental. 

 

LEIA TAMBÉM: Produtor rural que causou intoxicação de alunos em Belterra foi notificado 38 vezes pelo Ibama a pedido do MPF; saiba quem é 

 

Nesta segunda-feira (6), fiscais do Ibama estiveram na propriedade do produtor rural, cujo nome não foi informado, para a lavratura do laudo de constatação e, consequentemente, aplicação da multa no valor de pouco de R$ 1,01 milhão. Ele tem prazo de 20 dias para recorrer. 

 

Além da multa, o órgão ambiental também impôs a suspensão de uso de defensivos agrícolas até que seja erguida uma barreira de vegetação entre a escola e a plantação, garantindo a segurança de imóveis vizinhos. “Suspendemos o uso de agrotóxico até que o produtor implemente medidas de segurança, como plantio de árvores e vegetação frondosa, entre a escola e plantação de soja”, informou ao Portal OESTADONET o analista ambiental do Ibama Raphael Fonseca.

 

O episódio de intoxicação ocorreu no início do mês de fevereiro deste ano e foi denunciado pelo Ministério Público Federal (MPF) ao Ibama. Uma equipe foi a campo e constatou as irregularidades, sobretudo a intoxicação de estudantes e funcionários da escola.

 

Alunos e funcionários da escola municipal Vitalina Motta, localizada na comunidade São Francisco da Volta Grande, passaram mal e foram levados para uma unidade de saúde. Após serem medicados, eles foram liberados. A maioria apresentou sintomas como dor de cabeça, irritação na garganta e tosse forte. Todos sinais de intoxicação aguda.

 

“Como a escola fica ao lado da plantação, constatamos a aplicação dos defensivos nas datas desses episódios. Com as informações coletadas tanto na escola e no posto se saúde como na propriedade do plantio de soja, ficou caracterizada a responsabilidade”, disse o analista do Ibama.




  • Imprimir
  • E-mail