pms fev 2024 exploração sexual
rec cartão afinidade Banpará fevereiro interno

Prefeitura vai coordenar grupo de trabalho sobre retomada da produção da juta em Santarém

Portal OESTADONET, com informações da PMS - 17/02/2023

Antiga indústria de beneficiamento de juta, em área hoje ocupada pelo terminal hidroviário de cargas e passageiros de Santarém - Créditos: Arquivo/Portal OESTADONET

A produção de juta e malva no Baixo e Médio Amazonas está sendo realizada por meio do fortalecimento da produção de sementes e fibras em alguns estados da região Norte. As ações vem sendo desenvolvidas, por meio da Companhia Têxtil de Castanhal em municípios vizinhos, como Alenquer e Juruti e as oportunidades foram apresentadas aos representantes do Grupo de Gestão Integrada para o Desenvolvimento Regional Sustentável (GGI/DRS), em reunião realizada nessa quinta-feira (16). Um dos encaminhamentos propostos pelo prefeito Nélio Aguiar é que a Prefeitura de Santarém, por meio da Secretaria Municipal de Planejamento, Desenvolvimento Econômico, Indústria, Comércio e Tecnologia (Semdec), coordene um grupo de trabalho para estudar os processos para a retomada da produção da juta em Santarém.

 

 


Linha de sacaria resultante da produção nos municípios.

 

 

O cultivo da juta é responsável por levar renda para as famílias do interior da Amazônia. Como os terrenos de plantio são pequenos, a produção de juta é realizada manualmente por famílias de ribeirinhos. Atualmente, centenas de famílias nos Estados do Amazonas e Pará têm na juta sua principal fonte de renda. 

 

A engenheira agrônoma Vivian Lameira, da Companhia Têxtil de Castanhal, ressalta que a retomada da safra nacional é um dos objetivos do projeto. "Hoje, 80% da nossa matéria-prima é importada e nossa intenção é fazer a inversão desse valor que é 20% nacional, chegando a 80% a 90% de produção nacional. Aqui na região, o projeto é voltado para a produção de fibra, tanto de malva, quanto de juta, considerando as especificidades de cada local e a intenção é envolver produtores, com a perspectiva de gerar renda e criar oportunidades, paralelamente, às outras atividades que esse produtor já realiza".

 

 


Vivian Lameira: "Objetivo é retomada da safra nacional".

 

 

No polo do Baixo e Médio Amazonas, a empresa está ajudando a desenvolver o plantio da juta e da malva. Com mais de R$ 290 mil em investimentos e assistência técnica, municípios da região, que tinham a tradição do plantio das respectivas culturas, têm respondido de maneira satisfatória sobre essa retomada da produção.

 

"Desde de 2018 que já estamos trabalhando nesta região, hoje buscamos parcerias para fortalecer o projeto. Temos o apoio de algumas instituições, mas falta apoio financeiro e logístico. Agora, com essa abertura aqui no GGI, acredito que vai nos favorecer nesse sentido. Nossa proposta é buscar o apoio logístico dentro dos municípios, hoje, por exemplo, as Prefeituras têm maquinários para trabalhar a agricultura familiar. Então nós precisamos desse material, em campo, em prática, para preparar, por exemplo, as áreas, amenizar custos e estimular a produção. Hoje, também, buscamos o apoio de instituições financeiras para que o produtor tenha um aporte para iniciar esse projeto, porque o pequeno produtor não tem condições de arcar com certas despesas", explica Eronilson Guimarães, técnico em Agropecuária e coordenador do projeto na região do Baixo e Médio Amazonas.

 

 


Eronilson Guimarães: "Projeto busca apoio dos municípios". 

 

 

Para o presidente da Associação dos Produtores de Juta da região do Baixo Amazonas, Marcos Gantus, apresentou-se viabilidade em relação à retomada do projeto, colocando o ribeirinho como participante.

 

"Mostramos para todos a necessidade que o ribeirinho tem de produzir a juta, já que a maioria deles trabalha com o pescado. Nesse período do defeso que a juta entra, a ideia é que eles possam ter mais uma renda, já que a compra é garantida, o preço é fixo e isso trará mais oportunidades para todos os municípios da região", afirma o produtor.

 

 


Prefeito Nélio Aguiar: "Grupo de Trabalho para estudar viabilidade".

 

 

Ainda durante o GGI, o prefeito Nélio Aguiar apresentou informações sobre o balanço de 2022, em relação às diversas áreas da gestão, e prospectou novos investimentos para o ano de 2023, com o apoio da bancada parlamentar do estado do Pará no Congresso Nacional. A reunião contou, também, com a presença do empresário Sandro Mota, proprietário do Restaurante e Pizzaria Dom Mani, no painel de investidores, que apresentou os investimentos realizados e as práticas sustentáveis implantadas em áreas como reciclagem, inovação e tecnologia.