pms fev 2024 exploração sexual
rec cartão afinidade Banpará fevereiro interno

Unidade de beneficiamento madeireiro comunitário será implantada em Belterra

Portal OESTADONET - 03/02/2023

Projeto da Cooperativa Mista da Flona do Tapajós (Coomflona) - Créditos: Divulgação/Dannie Oliveira

O município de Belterra, no oeste do Pará, vai ganhar a primeira unidade de beneficiamento madeireiro comunitário (UBM). Construída com recursos do Fundo Amazônia e apoio do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMbio), a obra está sendo realizada pelo projeto Tapajós Sustentável e é resultado de uma iniciativa da Cooperativa Mista da Flona do Tapajós (Coomflona), com apoio técnico e financeiro da Conservação Internacional (CI-Brasil).

 

A unidade, que medirá 2.604 metros quadrados, ficará às margens da BR-163 e a previsão é que ela seja inaugurada ainda neste primeiro semestre de 2023 e até o final do próximo ano, a indústria estará em plena operação. Estão sendo investidos cerca de R$ 5 milhões no projeto. 

 

A implantação da UMB vai aprimorar o processo produtivo, unificando a excelência das atividades de manejo florestal de impacto reduzido e a produção de madeira processada, garantindo assim a manutenção da Floresta em Pé.

 

A Coomflona realiza um trabalho pioneiro de Manejo Florestal Comunitário (MFC) de uso múltiplo. Na extração da madeira da floresta ainda são usadas técnicas de baixos impactos ambientais. É um modelo que funciona há mais de 17 anos sob a coordenação da Coomflona, cuja equipe de campo é formada exclusivamente por comunitários capacitados, que contam com o apoio técnico de equipe de engenheiros com experiência para atuar no processo de produção florestal madeireira.

 

O engenheiro florestal da cooperativa Aluízio Patrocínio, explica que a Coomflona faz o manejo comunitário e comercializa o produto ainda in natura. “Com a implantação da unidade em parceria com a CI-Brasil, vamos agregar mais valor ao produto, já que ele vai ser beneficiado e a madeira sairá diretamente para o consumidor. Essa valorização também favorece as comunidades que são beneficiadas com a geração de emprego e renda, uma vez que estão envolvidas diretamente na cadeia produtiva de manejo, atuando na manutenção da floresta em pé”, enfatizou Patrocínio.

 

A madeira produzida na Flona Tapajós é certificada e a partir da estruturação da Unidade de Beneficiamento Madeireiro, o processo produtivo será modificado de parte da produção será destinado ao desdobro de madeira em peças como tábuas, pranchas e outros produtos, objetivando principalmente agregar valor no produto, garantindo uma origem segura para comercialização, conforme explicou o coordenador de projetos da CI-Brasil Frank Pantoja.

 

“Quando a madeira é comercializada já serrada o valor e o mercado aumentam. Sobe bastante o valor agregado, o que é muito bom quando se pensa nas vantagens de se estabelecer esse empreendimento. Sempre foi um sonho da Coomflona ter sua própria serraria e a CI-Brasil, através de sua coordenação, teve um papel fundamental na articulação para viabilizar esse projeto”, destacou Pantoja.

 

Até a conclusão da UMB, os comunitários vão passar por uma seleção e capacitação para atuarem em funções específicas nos setores produtivos da serraria. Com as capacitações, os comunitários receberão preparo técnico para operarem os maquinários com segurança. 

 

A implantação da serraria integra as atividades previstas no componente madeireiro do Projeto Tapajós Sustentável e Resiliente, que visa fortalecer as cadeias produtivas madeireiras de base comunitária manejada e de madeira caída, gerando também valor a essa cadeia por meio do beneficiamento de produtos. O projeto é executado no Oeste do Pará e tem como objetivo contribuir com o fortalecimento da produção sustentável florestal de base comunitária nas Florestas Nacionais do Tapajós, Trairão e Itaituba I.




  • Imprimir
  • E-mail