pms fev 2024 exploração sexual
rec cartão afinidade Banpará fevereiro interno

Campanha de Bolsonaro recebeu doação de dois desmatadores do sudoeste do Pará multados por crimes ambientais

Portal OESTADONET, com informações da Pública - 01/09/2022

A maior parte dos apoiadores financeiros da campanha de Bolsonaro são ligados ao agronegócio - Créditos: Alan Santos/PR

Dois doadores de campanha do presidente Jair Bolsonaro (PL), com atividades no sudoeste do Pará, são apontados em uma reportagem da Agência Pública, de terem multas no Instituto do Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama. O levantamento é da Agência Pública.

 

Ubirajara Augusto Fagundes Filadelpho e Marcos Morandi, citados na reportagem assinada pelo jornalista Rafael Oliveira, têm histórico de infrações ambientais. O primeiro doou R$ 500,00 e o segundo fez doação de R$ 5 mil à campanha à reeleição de Jair Bolsonaro.

 

Eles estão na lista de 17 doares que doaram ao menos R$ 10 mil à campanha do presidente. No levantamento feito pela Pública, considerando todas as 83 pessoas que doaram para Bolsonaro até agora, 16 (19,6%) foram multados pelo Ibama.

 

Ubirajara Augusto Fagundes Filadelpho, por exemplo, doou R$ 500 e foi multado em R$ 1,2 milhão por desmatamentos na região de Itaituba. Já, Marcos Morandi, que doou R$ 5 mil,  foi multado pelo órgão ambiental por descumprir embargo em Novo Progresso e por ter agrotóxicos em descumprimento com a legislação em Itaituba. As duas autuações somam R$ 400 mil. Marcos é sócio do irmão Fernando Morandi, da Aviação Agrícola Gaivota Ltda, que doaram R$ 5 mil cada, também têm débitos acima de sete dígitos, considerando a autuação recebida pela empresa. A Gaivota foi multada em R$ 1,2 milhão por exercer a atividade de aviação agrícola sem licença em Jaguapitã (PR). 

 

O doador de Jair Bolsonaro com a maior multa no Ibama é José de Castro Aguiar Filho (o “Zezinho”), que recebeu 16 autuações entre 2007 e 2015, totalizando mais de R$ 65,4 milhões.

 

Há ainda mais quatro doadores com multas acima de R$ 1 milhão. O primeiro é Dagoberto Antônio Faedo, que doou R$ 2 mil e recebeu multa de R$ 4,06 milhões. Ele foi autuado em 2016 por desmatar mais de 4 mil hectares em Fernando Falcão (MA). O segundo é Ubirajara Augusto Fagundes Filadelpho, que doou R$ 500 e foi multado em R$ 1,2 milhão por desmatamentos em Itaituba (PA).

 

A matéria completa você confere acessando o link AQUI




  • Imprimir
  • E-mail