Verão julho

Nível do rio Amazonas continua subindo e deixa Defesa Civil em estado de alerta em Óbidos

Portal OESTADONET - 25/01/2022

Na cidade de Óbidos, no oeste do Pará, o nível do rio Amazonas não para de subir e já ultrapassou as marcas das cheias mais recentes registradas no município nos anos de 2009, 2012, 2014 e 2021. Com as chuvas acima da média, o volume de água também não para de aumentar e já está afetando a vida de alguns moradores nas localidades que são historicamente mais castigadas pela cheia neste período do ano. A Defesa Civil do município está em estado de alerta e monitora possíveis pontos de riscos na área urbana e também na zona ribeirinha.

 

A marca do rio Amazonas chegou a 5,70 metros nessa segunda-feira (24), segundo o boletim diário de medição do rio Amazonas, atualizado às 08h00 pela Defesa Civil. Estava sendo aguardada a chegada de uma equipe da Defesa Civil do Estado para avaliar a situação no município que, após o parecer técnico, pode decretar situação de emergência em razão da cheia iminente. 

 

Conforme o boletim de medição diária, o nível do rio Amazonas está 1,14 metros acima da marca registrada no ano passado. Em comparação ao mesmo período do ano de 2014, a marca atual está 1,08 metros acima. Já na comparação ao ano de 2012, neste mesmo dia, o Amazonas está 1,26 acima daquela média. E comparado ao ano de 2009, quando se registrou a grande cheia em Óbidos, a marca atual está 0,86 centímetros acima. 

 

Em 2021, o nível do rio registrava 4,56 metros. Em 2014, essa marca era de 4,62 metros. No ano de 2012, o Amazonas assinalou 4,44 metros e, por fim, em 2009, neste mesmo dia do ano da grande cheia, a régua cravou 4,84 metros.

 

O nível de alerta, segundo a Defesa Civil, é de 7,20 metros. 

 

-------

 

 

A incógnita do Tocantins, por Lúcio Flávio Pinto

 

A Eletronorte continua liberando quase todo volume de água que chega à represa da hidrelétrica de Tucuruí. O objetivo é controlar o impacto do rio Tocantins a montante, que está provocando a remoção da população da parte mais baixa da cidade. Em compensação, as cidades a montante estão tendo que se adaptar a um crescimento mais rápido do nível da água. Essa regulação será possível se a quantidade de chuva na região diminuir.

 

Em Marabá, a empresa estatal prevê que o Tocantins se manterá na cota 11,91 por todo dia de hoje, quase dois metros acima do nível de alerta. Em Tucuruí, o rio subiria de 11,40 metros no início da manhã de hoje para 11,65 metros às 20 horas, apenas 30 centímetros abaixo de Marabá, que se localiza 250 quilômetros rio acima.

 

A vazão de chegada à represa é de 31.386 metros cúbicos por segundo e de saída, de 32.892 m3. O nível é de menos de 50 centímetros do nível operacional máximo, de 74 metros. A capacidade de armazenagem de água no reservatório está em 96.80%. O reservatório de Tucuruí acumula 50,46% de toda água vertida pelo Tocantins, o 25º mais extenso rio do mundo e o 2º maior que circula inteiramente dentro doBrasil.




  • Imprimir
  • E-mail