pms fev 2024 exploração sexual
rec cartão afinidade Banpará fevereiro interno

Ruralistas bancam pesquisadores para pregar negacionismo climático; Um deles vem fazer palestra na ACES nesta terça-feira(14)

Portal OESTADONET - 13/12/2021

Luiz Carlos Molion - Créditos: Arquivo/Redes Sociais

Nacionalmente conhecido por ser difusor do chamado ‘negacionismo climático’ e adepto da filosofia bolsonarista, o professor Luiz Carlos Molion estará em Santarém, no oeste do Pará, onde fará palestra sobre o clima e o desenvolvimento regional. O evento será realizado no auditório da Associação Comercial e Empresarial de Santarém (Aces), nesta terça-feira (14). 

 

Doutor em climatologia pela Universidade de Wisconsin-USA, PósDoc Wallinford-England, Molion falará sobre 'Amazônia, clima global e desenvolvimento regional. Ele é um dos pseudos-pesquisadores que afirmam que os estudos sobre mudanças climáticas têm um só objetivo: prejudicar o agronegócio no país. 

 

O discurso base da tese de Molion é o mesmo inflamado pelo presidente Jair Bolsonaro quando o assunto é o clima na Amazônia. 

 

Palestras como as que o ‘professor’ Luiz Carlos Molion dará em Santarém, nesta terça-feira, são, na maioria dos casos, bancadas por ruralistas, que disseminam mentiras sobre as causas do aquecimento global e ignoram teses da influência humana na mudança da temperatura no planeta. 

 

Além de Luiz Carlos Molion, outro ‘especialista’ bancado por sojeiros, fazendeiros e empresários do agronegócio para palestrar sobre o clima é o meteorologista Ricardo Felício, professor da Universidade de São Paulo. Ele também segue a doutrina bolsonarista do negacionismo. 

 

Ambos, segundo uma reportagem produzida pela BBC Brasil, recebem dinheiro de associações de fazendeiros de soja, passando por cafeicultores, sindicatos rurais, faculdades ligadas a agronomia e até uma empresa de fertilizantes, para propagarem a tese estapafúrdia de que o aquecimento global seria uma teoria da conspiração contra países em desenvolvimento e, em grande parte, ruralista – escopo que serve perfeitamente ao Brasil.

 

“O Brasil é o principal foco dessas operações que envolvem meio ambiente e clima. A ideia da mudança climática e dessas questões ambientais são para segurar o nosso desenvolvimento”, defende Felicio, sem respaldo científico.

 

Nos últimos três anos, os ‘pesquisadores’ bolsonaristas participaram de pelo menos 20 palestras direcionadas a fazendeiros, produtores rurais ou estudantes de agronomia.

 

De acordo com o que apurou o Portal OESTADONET, os organizadores do evento fizeram contato com a presidência da ACES, que cedeu o auditório da entidade  para a palestra meramente negacionista do ‘professor’ Luiz Carlos Molion.




  • Imprimir
  • E-mail