Alfabetiza junho

Órgãos de Saúde, Arcon, Capitania do Portos e Infraero montam barreiras sanitárias em portos, aeroporto e rodoviária de Santarém

Kamila Andrade - Portal OESTADONET - 12/01/2021

Barco loado de passageiros nesta época do ano - Créditos: Arquivo

A Divisão de Vigilância Sanitária, equipe do 9º Centro Regional, Agência de Regulação e Controle dos Serviços Públicos do Estado do Pará (Arcon-Pa), Capitania do Portos e Infraero voltaram a montar nesta terça-feira (12) barreiras sanitárias em Santarém, no oeste do Pará.

 

O principal alvo das medidas preventivas à Covid-19 são os passageiros oriundos de Manaus, para evitar a transmissão acelerada da doença no município.

 

O Estado do Amazonas registra uma segunda onda de Covid-19, com falta de oxigênio nos hospitais de Manaus, e em Santarém não há vagas em UTI para atendimento de pacientes graves.

 

A Prefeitura de Santarém informou segunda-feira(11) que dos 12.917 casos confirmados de covid-19; 12.182 estão recuperados, 33 estão internados, 478 são óbitos e outros 224 pacientes estão em isolamento domiciliar.

 

As barreiras serão montadas no aeroporto maestro Wilson Fonseca, nos portos e na rodoviária do município. A Arcon estará na rodoviária para monitoras os passageiros que chegam na cidade. De acordo com órgão, se houver algum deles com sintomas gripais, a Vigilância Sanitária será acionada.

 

Conforme a Vigilância, o passageiro com síndrome gripal será notificado no Termo de Controle Sanitário do Viajante e este deverá ficar isolado pelo período de 14 dias.

 

No aeroporto, uma equipe de fiscais da vigilância estará na sala de desembarque para verificar a temperatura corporal e fazendo o mesmo procedimento de notificação.

 

Já nos portos, a Capitania entra em contato com a equipe de saúde da embarcação para verificar os mesmos procedimentos. Paciente com qualquer sintoma de gripe será notificado.
 


Solicitação de bloqueio em Juruti

 

A prefeita de Juruti Lucidia Batista solicitou  ao governador Hélder(MDB) o boqueio da divisa entre Pará e Amazonas para impedir aa entrada de embarcações de passageiros oriundas do estado vizinho, permitindo o acesso apenas aos navios e barcos que transportam carga exclusivamente.


 
 A Prefeitura de Juruti informa que a  "equipe da Saúde está no porto controlando a entrada e saída de Juruti, com Guarda Municipal, agentes da Vigilância e equipe da Saúde", e que "equipes da Polícia Militar, Vigilância e Guarda Municipal estão intensificando as medidas restritivas e orientando a todos."


 
Situação no Amazonas

 

A Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS-AM), por meio do Boletim Diário de Covid-19, edição de nº 282, desta segunda-feira (11/01), informa o diagnóstico de 2.151 novos casos de Covid-19, totalizando 216.112 casos da doença no estado.

 

De acordo com o boletim, foram confirmados 55 óbitos por Covid-19, sendo 34 ocorridos no domingo (10/01) e 21 encerrados por critérios clínicos, de imagem, clínico-epidemiológico ou laboratorial, elevando para 5.756 o total de mortes.

 

Na capital, de acordo com dados da Prefeitura de Manaus, no domingo, foram registrados 62 sepultamentos por Covid-19. O boletim acrescenta ainda que 27.075 pessoas com diagnóstico de Covid-19 estão sendo acompanhadas pelas secretarias municipais de Saúde, o que corresponde a 12,53% dos casos confirmados ativos.

 

O estado do Amazonas ainda está com dificuldade de abastecimento de oxigênio para os hospitais e corre riscos de ficar sem o produto, o que agravaria ainda mais o colapso já vivido na rede de saúde do Estado.

 

O governador do Amazonas, Wilson Lima, classificou a situação como "dramática".

 

De acordo com Lima, as empresas informaram ao governo do Estado que não  têm mais condições de fornecer oxigênio na quantidade demandada hoje pelo Amazonas.




  • Imprimir
  • E-mail