Banpara recupera crédito


Empresários que se encontraram com Bolsonaro estão em quarentena

Lúcio Flávio Pinto - 08/07/2020

Os donos de algumas das maiores empresas do Brasil entraram ontem em quarentena automática em função do anúncio de que o presidente Jair Bolsonaro, com quem se encontraram na sexta-feira da semana passada: está com o coronavírus. Todos eles estavam sem máscara, como o presidente, de quem aceitaram abraços e cumprimentos, sem guardar a necessária distância social para se prevenir do contágio,

 

Por que Eugênio Mattar (da Localiza), Francisco Gomes (Embraer), Carlos Alberto de Oliveira (Caoa), Carlos Trabuco (Bradesco), Rubens Ometto (Cosan), Rubens Menin (MRV), Cândido Pinheiro (HapVida), Lorival Luz (BRF), e Fernando Queiroz (Minerva Foods), mais o guia deles, Paulo Skaf, da plutocrata Fiesp, não se muniram de suas máscaras de proteção, não guardaram a distância cautelar e não cumprimentaram o presidente com o cotovelo, à maneira dos generais Edson Pujol e Geraldo Antônio Miotto, que responderam com os cotovelos quando o capitão Bolsonaro lhes estendeu a mão, ao participar da posse do novo comandante militar do sul, em Porto Alegre,em maio do ano passado?

 

Os empresários, alguns dos quais apregoam governança corporativa e compliance como diretrizes das suas companhias, foram ao Palácio do Planalto com reivindicações e pedidos ao detentor da chave dos cofres públicos e mandante dos atos da administração federal. A autonomia e a independência não cabem nessas ocasiões. Daí fazerem tudo que seu dono mandar, mesmo que os procedimentos de Bolsonaro os tenham causado – pelo menos – tensão e ansiedade pelos próximos dias, se escaparem ao contágio do vírus, disseminado intensamente pelo presidente.

 

A Folha de S. Paulo relata hoje como estavam os empresários:

 

Fique em casa O presidente da BRF está seguindo protocolos estabelecidos pela companhia para todos os seus funcionários. A empresa afirma que ele não apresenta sintomas e mantém sua rotina normal de trabalho em casa.

 

Distância Rubens Ometto disse que não se aproximou do presidente no encontro e usou máscara. Ele afirma que não sente medo da doença, tem seguido os protocolos e se submete aos testes com frequência. Repetiu a testagem nesta terça-feira (7).

 

Pimenta Procurado pela coluna logo após a divulgação do resultado do exame de Bolsonaro, o dono da Cosan recebeu a pergunta com humor. Antes de dizer que não teve contato físico com o Bolsonaro durante o almoço na sexta, o empresário brincou que fizeram “sexo atrás do sofá”.

 

Diagnóstico Mattar também passou por teste nesta terça. De acordo com a Localiza, ele está seguindo as medidas de distanciamento social e apresenta um quadro de saúde normal. Sem sintomas, ele manteve sua rotina de trabalho remotamente.

 

Anticorpo Com Cândido Junior, vice-presidente da Hapvida, foi diferente. Ele já havia contraído a Covid-19 no começo da pandemia. Segundo a companhia, ele fez quarentena na época e, depois do encontro com Bolsonaro, não apresenta sintomas gripais.

 

Termômetro Francisco Gomes seguirá o protocolo de saúde da Embraer, que prevê quarentena para qualquer pessoa que teve contato com alguém contaminado.

 

Agenda Os empresários participaram do encontro em nome do Conselho Diálogo pelo Brasil, um grupo de 50 representantes de grandes companhias fundado por Skaf para discutir questões econômicas com autoridades de Brasília. O presidente da Fiesp segue isolado, até o resultado do exame molecular, que será feito entre quinta (9) e sexta (10).




  • Imprimir
  • E-mail