Camarão no pão
Cartas na mesa

CPH e CDP traçam novo ordenamento de cargas e passageiros para Santarém, a partir de 2020

Weldon Luciano - 17/05/2019

Secretário Handerson Pinto, Eduardo Bezerra, da CDP, e Abrahão Benassuly, presidente da CPH -

A Companhia de Portos e Hidrovias do Pará (CPH) e a Companhia Doca do Pará (CDP) traçam um novo ordenamento portuário para o fluxo de cargas e passageiros em Santarém. De acordo com a proposta que passaria a valer a partir de 2020, o embarque e desembarque de passageiros será feito a partir dos terminais instalados no bairro Prainha, entre eles o Terminal Hidroviário, que está em construção. O atual porto da CDP, localizado no bairro Salé, permaneceria apenas com o fluxo de transbordo de cargas. Representantes das duas companhias, da Prefeitura e do Governo do Estado, representado pelo secretário regional Henderson Pinto, estiveram nesta sexta-feira(17), vistoriando instalações e avaliando a viabilidade do projeto.   

 

“Nesse contexto queremos alinhar todos os entendimento em busca da melhor solução, tanto para nós enquanto operadores do porto de Santarém para a CPH e para a prefeitura. Nesse primeiro momento a ideia é migrar o embarque o desembarque de passageiros que ocorre na CDP para o terminal. Estamos buscando uma solução conjunta para a migração gradativa das atividades que ocorre no porto de Santarém para os terminais hidroviários. Esse do DNIT foi cedido a prefeitura e este ao lado que a CPH está concluindo sua implantação. Em um ano, teríamos o atual porto da CDP para sua vocação natural, disponibilizado apenas para carga.”, disse Eduardo Bezerra, presidente da CDP.  

 

De acordo com o projeto, o bairro da Prainha será um setor destinado apenas para passageiros. No local, o porto construído Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) que já recebe parte do fluxo de atracações do transporte intermunicipal. O local passa a receber também o fluxo do Porto da Praça Tiradentes que está sendo desativado aos poucos por conta do avanço das obras da nova orla. Em 2020, com a inauguração do Terminal Hidroviário ao lado, passageiros e embarcações terão um suporte maior.

 

Por sua vez, o atual terminal da CDP, operando apenas com cargas poderá realizar adequações necessárias, entre elas, os projetos de expansão da capacidade para atender a crescente demanda de exportação da cidade como soja e milho.

 

Terminal Hidroviário de Santarém

 

Com 40% da obra a Companhia de Portos e Hidrovias estima que tudo possa ser entregue até março de 2020. Para o presidente, Abraão Benassully, apesar das alterações a serem feitas a obra segue o cronograma normalmente. Foram identificados problemas, no piso do terminal e na tecnologia utilizada na área naval que não estavam adequadas para a finalidade do espaço.  A capacidade será de aproximadamente 100 mil pessoas por mês.

 

“Houve algumas divergências entre o projeto contratado e o projeto que está sendo executado. Nossa equipe técnica reuniu com o consorcio e estamos conseguindo supri essas divergências e da continuidade na obra e entregar no prazo determinado, que seria até março de 2020. O terminal terá a capacidade de atender 5 mil pessoas diariamente com qualidade e segurança”, conclui. 


  • Imprimir
  • E-mail