pms maio
Camarão no pão
Banpará

Mulher escrava no Pará

Lúcio Flávio Pinto - 08/03/2019

Abaixo apenas do Maranhão que lidera o maior o ranking de mulheres resgatadas em situação análoga ao trabalho escravo, o Pará ocupa o segundo lugar, de acordo com levantamento divulgado pelo Ministério Público do Trabalho.

Nos últimos 15 anos, 246 mulheres foram resgatadas nessa condição no Pará, principalmente em garimpos e fazendas. No Maranhão, foram 313. O total somou 1.936 casos. Mas o próprio MP admite que esses números estão muito aquém da realidade, por subnotificação, principalmente pela fiscalização oficial insuficiente.

As mulheres em situação análoga à de escravas sofrem, principalmente, exploração sexual, trabalho doméstico, trabalhando na cadeia global da moda e em casamentos servis. As meninas e mulheres representam 71% das vítimas das formas modernas de escravidão, segundo a Organização Internacional do Trabalho. Em 2016, eram 40 milhões de pessoas vítimas da escravidão moderna, sendo 25 milhões em trabalho forçado e 15 milhões em casamento forçado.

Ranking completo (casos)

Maranhão – 313

Pará – 246

Minas Gerais – 214

Bahia – 210

São Paulo – 204

Tocantins – 125

Goiás - 101

Rio de Janeiro - 94

Paraná - 62

Alagoas - 52

Mato Grosso do Sul - 47

Piauí - 45

Mato Grosso - 42

Ceará - 40

Santa Catarina - 31

Pernambuco - 27

Amazonas - 19

Espírito Santo - 14

Rio Grande do Sul - 13

Acre - 10

Rondônia - 9

Paraíba - 6

Rio Grande do Norte - 3

Roraima - 3

Sergipe - 2

Amapá - 1

Distrito Federal – 1


  • Imprimir
  • E-mail