Dengue
Vox interno
churrascaria interno

Acadêmico inídigena da UFOPA realiza primeira defesa bilíngue do Programa de Geografia

Portal OESTADONET, com informações da UFOPA - 17/02/2019

Estepan Wai Wai durante a defesa bilíngue. Imagem: Comunicação/Ufopa -

O aluno indígena Estepan Wai Wai entrou para a história como o primeiro acadêmico da Universidade Federal do Oeste do Pará (UFOPA) a realizar a primeira defesa bilíngue do Programa de Geografia, vinculado ao Instituto de Ciências da Educação (Iced). A defesa ocorreu sexta-feira, 15 de fevereiro, no Laboratório de Ensino de Geografia, situada na Unidade Rondon, Campus de Santarém, a defesa ocorreu na língua Wai Wai, com a tradução simultânea para a língua portuguesa realizada pelo discente Jonas Wai Wai, do curso de Direito.

 

Intitulado “Reconhecimento, delimitação e demarcação da Terra Indígena Trombetas-Mapuera na fronteira setentrional do Brasil: uma revisão de literatura”, o trabalho teve como orientador o professor João Revelino de Almeida e foi avaliada pela banca examinadora formada pelas docentes Ednéa do Nascimento Carvalho e Maria Mirtes Cortinhas dos Santos.

 

De acordo com a UFOPA, o Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) elaborado por Estapam foi baseado em um estudo que apresentou, por meio de revisão bibliográfica, aspectos relativos ao processo de interdição, reconhecimento, delimitação e demarcação da Terra Indígena Trombetas-Mapuera, com ênfase na aldeia Mapuera, da etnia Wai Wai, situada no município de Oriximiná, no Oeste do Pará.

 

O acadêmico é natural da aldeia Mapuera, distante quatro dias de barco de Oriximiná, Estepan Wai Wai pertence a turma de 2013 do curso de Licenciatura Integrada em História e Geografia. Apesar de compreender bem o português, Estepan ainda tem dificuldades em pronunciar algumas palavras do português o que teria motivado a fazer a defesa em sua língua materna.

 

Lago Piraquara

 

Outra defesa de conclusão de curso realizada hoje no Laboratório de Ensino de Geografia do Iced foi a do discente Risomar dos Santos Silva, da etnia Tupinambá. Intitulado “O processo de assoreamento do Lago Piraquara (Baixo Amazonas) e as consequências advindas para os indígenas da aldeia Muratuba / Santarém - PA”, o estudo também foi orientado pelo professor João Revelino de Almeida. O aluno é concluinte da turma de 2013 do curso de Licenciatura Integrada em História e Geografia.


  • Imprimir
  • E-mail