Dengue
Vox interno
churrascaria interno

Faremos de tudo para o Mangueirão estar pronto o mais rápido possível, garante governador

Agência Pará - 10/01/2019

Belém- O governador Helder Barbalho informou que ficará pronto em 10 dias, o laudo sobre o desabamento de parte da cobertura do Estádio Olímpico do Pará, o Mangueirão. A informação foi passada em coletiva com a imprensa na quarta-feira (9), após visita ao local. “Faremos de tudo para que, o mais rápido possível, o Mangueirão esteja plenamente em condições de funcionamento”, gantiu. Na ocasião estiveram presentes os secretários de Estado de Desenvolvimento Urbano e Obras Públicas (Sedop) e de Esporte e Lazer (Seel), Rui Cabral e Arlindo Silva, além do diretor de segurança da Federação Paraense de Futebol (FPF), coronel Cláudio Santos.

Segundo Helder, foram identificados diversos problemas estruturais no estádio. Na área onde houve a queda da laje será necessária intervenção e imobilização imediata. “Temos uma alternativa, que está sendo estudada, de que essa área do estádio esteja com acesso restrito, mas a ideia é que possamos utilizar os outros espaços do Mangueirão”, afirmou. “Precisamos de 10 dias para visualizar registros não apenas no local do incidente, mas também em outras áreas. Não podemos correr risco de eventos acontecerem com o estádio cheio”, pontuou.

A Secretaria de Estado de Esporte e Lazer (Seel) informou que foram feitas todas as providências necessárias para evitar novas ocorrências e garantir a segurança do público que prestigia os jogos e eventos no local, bem como a dos servidores que trabalham no local. Em virtude do incidente, o primeiro jogo do Parazão – Campeonato Paraense de Futebol, que será disputado entre Clube do Remo e Tapajós, não será mais no dia 20. “O calendário foi interrompido e vamos esperar o laudo para dar prosseguimento ao Parazão, que será iniciado uma semana depois”, informou o titular da Seel, Arlindo Silva.

O secretário da Sedop também comentou, durante a visita, que o governo trata como prioridade os ajustes ao estádio para que o problema seja resolvido o mais rápido possível. “A prioridade é identificar imediatamente as patologias que levaram a esse incidente de 'desplaqueamento' de parte da cobertura de um dos eixos sobre a arquibancada. Estaremos laudando de maneira completa e precisa as dificuldades que encontrarmos para que sejam corrigidas imediatamente e não prejudique o Campeonato Paraense de Futebol”, concluiu.

Helder ressaltou que o incidente poderia ter sido evitado, caso as providências necessárias tivessem sido tomadas quando o primeiro laudo sobre a estrutura do estádio foi entregue, em agosto do ano passado. “O laudo do ano passado apontou vários problemas na estrutura do estádio. Por isso, pedimos um novo laudo, para que seja apontado o que é necessário realizar de intervenção, o que requer obstrução. Se tivesse ocorrido em um momento que o estádio estivesse lotado, teríamos uma tragédia irreversível, com possibilidades reais de fatalidade”, alertou o governador.

Por fim, Helder destacou que o estádio só será liberado após todos os técnicos, seja do Corpo de Bombeiros, da Secretaria de Obras, do Instituto Médico Legal, e também da Secretaria de Esportes e Federação Paraense de Futebol, concordarem que não há qualquer risco para os torcedores que estiverem visitando o Mangueirão.


  • Imprimir
  • E-mail