Dengue
Vox interno
churrascaria interno

Trabalhadores em Santarém afirmam que aumento não vai fazer diferença no poder de compra; Novo salário-mínimo está em vigor há 1 semana

Weldon Luciano - 08/01/2019

Começou a valer no dia 1º de janeiro o novo salário mínimo nacional. De R$ 954, o valor passou para R$ 998, o que representa um aumento de 4,61%. Uma semana após a medida entrar em vigor, o brasileiro vai se adaptando a própria sua realidade para lidar com R$ 44 a mais no orçamento.

Segundo Alberto Oliveira, presidente do Sindicatos dos Lojista de Santarém estima que o impacto é sentido mais nas contas do governo do que na iniciativa privada, já que a grande maioria dos trabalhadores do comércio em Santarém recebem salário normativo em convenção coletiva.

“Somos até favorável ao valor antes estabelecido que seria de R$ 1.006,00. Esse valor colocaria mais dinheiro na economia e, por consequência, no consumo. Todavia, entendemos que o país começa a sair de um longo período de recessão e a tendência é aumentar a oferta de emprego com a criação de novos postos de trabalho gerados pelas empresas”.

Trabalhadores ouvidos pelo Portal OESTADONET afirmaram que o aumento não vai fazer diferença no seu poder de compra, pois com os R$ 44 a mais por mês não vai dar para comprar nem um botijão de gás ou encher o tanque do carro, por exemplo. Na melhor das hipóteses, o aumento é o suficiente para comprar itens a mais na cesta básica.

Andreia Silva, que atua como empregada doméstica, o ganho salarial não será suficiente para cobrir sua despesa da casa e tem o botijão de gás, como o item mais caro. Os R$ 44 não compram uma botija, que custa em média R$ 65 a R$ 75 em Santarém. " Viver com o salário mínimo é um desafio e a gente tenta de todas as formas fazer com que ele dure até o fim do mês. Sempre fica faltando algo pra comprar”.

Para o cobrador de ônibus Jonathan Santos,o aumento no salário mínimo não agradou. Ele conta com este dinheiro a mais para abastecer o tanque do carro e passear com a filha e a esposa. "Pensei que o aumento seria maior, ninguém fica totalmente satisfeito, mas a gente faz o possível para que esse dinheiro a mais renda da melhor forma. Não vai dar pra encher o tanque, mas garante um combustível a mais para quando a família for passear”, conclui. 


  • Imprimir
  • E-mail