BANPARÁ BIO 2
Alfabetiza junho

Nélio não acredita em novos investimentos do Governo do Estado para Santarém

Sílvia Vieira, Repórter de O EstadoNet - 01/11/2016

Créditos: Das obras em andamento, apenas estádio e ginásio serão concluídos.Imagem: Rede Tapajós Notícia.

Diante do quadro de escassez de recursos públicos, o prefeito Nélio Aguiar não acredita em novos investimentos do Governo do Estado para o município de Santarém pelos próximos dois anos, que são os últimos do mandato do governador Simão Jatene.

“Eu acredito que nos dois últimos anos de governo, o governador Simão Jatene vai concluir a obra do estádio e do ginásio poliesportivo. Estou com muito pé atrás em relação às obras que não foram iniciadas, até porque existe uma decisão do governador em não começar obras novas para concluir as que já foram iniciadas”, pondera Nélio.

De acordo com o prefeito eleito, o Centro de Convenções o governador praticamente descartou porque ficou fora do orçamento e do último financiamento contratado pelo governo junto ao BNDES. Com recursos próprios o governo diz que não como fazer a obra.

“Teria que fazer um novo financiamento, mas não existe previsão para isso. E o terminal hidroviário pode ser que o Jatene comece. Nós vamos estar trabalhando isso junto com ao Ministério da Integração que e responsável por essa área de portos, até porque o projeto já está pronto e vamos ver se a gente consegue consolidar esse compromisso. Já estamos trabalhando junto ao governo federal para ver se a gente consegue recursos para uma das duas obras, ou Centro de Convenções ou o Terminal Hidroviário”, informou.

As obras do ginásio poliesportivo estão paralisadas há um ano. O mato já toma conta do local e ainda há muito serviço a ser feito para que a obra seja concluída. No estádio, as obras prosseguem, mas em ritmo lento devido a dispensa de parte dos trabalhadores.

Existe a expectativa de retomada das obras da Cosanpa para ampliação da rede de abastecimento de água que estão paralisadas há vários meses, mas o governo ainda não conseguiu realizar nova licitação para substituir a CMT Engenharia que abandonou a obra em função dos sucessivos atrasos no repasse dos recursos.




  • Imprimir
  • E-mail