BANPARÁ BIO 2
Alfabetiza junho

Imetropará alerta pais sobre cuidados na hora da compra de brinquedos

Agência Pará - 11/10/2016

Blocos de encaixar, bonecas, super-heróis cheios de acessórios, bolas e tantos outros brinquedos. Na prateleira das lojas, os produtos infantis parecem inocentes, mas nas estatísticas do Sistema Inmetro de Monitoramento de Acidentes de Consumo (Sinmac) lideram o ranking de registros, com 13% do total. Na hora de comprar o brinquedo de Dia das Crianças, enquanto os pequenos procuram o brinquedo mais legal, os pais devem ficar atentos à certificação do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro) e à faixa etária à qual o produto é destinado.

A preocupação deve ser ainda maior neste mês das crianças, quando a indústria lança novos brinquedos, cada vez mais atrativos. É também nesse período que as operações de fiscalização se intensificam, para promover a segurança e a saúde dos baixinhos. No Pará quem fiscaliza é o Instituto de Metrologia do Estado do Pará (Imetropará), órgão delegado do Inmetro.

"É por meio do Imetropará que o Inmetro atua nas áreas de saúde, segurança e meio ambiente, para proteger o consumidor e garantir a concorrência justa entre as empresas", resume o presidente da autarquia, Jorge Rezende. Durante a Operação do Dia das Crianças, que foi realizada entre os dias 26 e 30 de setembro, o instituto fiscalizou várias lojas, verificando se os brinquedos, mamadeiras e chupetas tinham o selo do Inmetro e se atendiam aos requisitos estabelecidos na regulamentação. Ao todo foram gerados seis autos de infração, uns pela ausência de selo nos produtos e outros por não obedecerem todas as normas da portaria.

No Brasil, a certificação é obrigatória para todo brinquedo, nacional ou importado, destinado ao público de 0 a 14 anos. Segundo o presidente do Imetropará, Jorge Rezende, a ingestão ou aspiração de peças e contato com material tóxico estão entre os tipos mais comuns de acidentes com brinquedos. “Um brinquedo que ostenta o selo de segurança compulsória do Inmetro traz ao consumidor uma garantia de que aquele produto passou por todos os testes e análises do Inmetro e portanto se trata de um produto mais seguro, que não trará risco à saúde da criança. Se de um lado o órgão está atento às irregularidades nos produtos, de outro os pais devem ser conscientes e não comprar brinquedos inadequados para a idade dos filhos”, salienta Rezende.

Os acidentes com produtos devem ser relatados por meio do Sistema Inmetro de Monitoramento de Acidentes de Consumo (Sinmac), no site do instituto. É só preencher o formulário e confirmar as informações. É rápido e fácil. Com esses dados, o Inmetro pode aperfeiçoar seu trabalho e desenvolver campanhas educativas. No Sinmac, o cidadão também pode checar relatórios e estatísticas de registros de acidentes de consumo no país.

Veja as dicas para não errar no presente da criançada:

1. No ato da compra, exija o selo do Inmetro. O selo deve estar sempre visível, impresso na embalagem, gravado ou numa etiqueta afixada no produto. O mesmo deve conter a marca do Inmetro. Ela demonstra que o produto atende a requisitos mínimos de segurança estabelecidos em normas e regulamentos.

2. Não compre produtos no comércio informal. Geralmente, os brinquedos são mais baratos, mas, na grande maioria, são irregulares, falsificados e podem conter substâncias tóxicas na composição.

3. Exija sempre a nota fiscal do estabelecimento onde comprou e guarde para troca posterior, se necessário.

4. Antes de entregar o brinquedo à criança, leia atentamente as instruções que orientam quanto ao uso seguro do produto.

5. Cuidados especiais devem ser observados na retirada das embalagens, que podem ter grampos metálicos, papéis com tintas inadequadas, etc. A embalagem não é brinquedo (apesar das crianças adorarem).

6. Pais devem ficar atentos à faixa etária recomendada para o brinquedo. Esta informação é obrigatória na embalagem. Peças pequenas, em especial, são muito perigosas se usadas por crianças com idades inadequadas. Já selecione o brinquedo considerando a idade, o interesse e o nível de habilidade da criança.

7. Verifique se há na embalagem informações sobre o conteúdo, instruções de uso, de montagem, e eventuais riscos associados à criança, além do CNPJ e endereço do fabricante. As informações obrigatórias na embalagem demonstram a responsabilidade do fabricante ou importador.

Cuidados após a compra

8. Pais com mais de uma criança em casa, com idades diferentes, devem ficar atentos pois, os brinquedos acabam se misturando. E por mais seguro que o produto seja, ele não dispensa a supervisão de um adulto quando os pequenos estão brincando.

9. Verifique se o brinquedo possui pontas ou extremidades cortantes e partes ou peças pequenas que possam se desprender com facilidade e provocar acidentes. Eles também não podem ser fabricados ou pintados com material tóxico, uma vez que as crianças costumam desmontá-los e, por vezes, colocam na boca.

10. Em caso de dúvidas ou se encontrar algum problema, denuncie. A ouvidoria do Imetropará funciona no telefone 0800 280 1919.

Texto:
Ana Caroline




  • Imprimir
  • E-mail