Banpara energia solar


Áreas mineradas reabilitadas com reflorestamento geram renda para comunidades de Juruti Velho(PA)

Portal OESTADONET, com informações de Weldon Luciano - 27/03/2024

Janilce Souza é uma das produtoras de mudas - Créditos: Divulgação/Alcoa

 

Comunidades tradicionais localizadas no entorno do lago do Projeto Agroextrativista (PAE) Juruti Velho, estão sendo beneficiadas com as ações de reflorestamento das áreas que abrigam atividades de mineração da Mina da Alcoa, em Juruti, no oeste do Pará. A recuperação dessas áreas conta com a ajuda efetiva das associações de moradores, por meio de programa de plantio de mudas.

 

As mudas florestais nativas usadas no reflorestamento das áreas mineradas são produzidas por 90 famílias que vivem nessas comunidades. Distribuídas em quatro associações, os moradores desempenham um papel importante nesse processo de recuperação florestal e ainda são remunerados para isso.

 

Os produtores são cadastrados e recebem orientações técnicas sobre como produzir as mudas. Quando termina um ciclo e as mudas estão prontas para serem plantadas, o produtor é pago. O valor depende da quantidade e espécies cultivadas.

 

O primeiro plantio das mudas de Bertholletia excelsa H.B, popularmente conhecida como castanheiras, aconteceu este ano. As mudas foram inseridas na área da Frente 13 da mina de bauxita.

 

A castanheira é uma espécie, que devido ao desmatamento, é classificada como vulnerável na Lista Vermelha da União Internacional para a Conservação da Natureza e dos Recursos Naturais (UICN¹), que reúne e classifica espécies com risco de extinção. A adoção de boas práticas de manejo são estratégias usadas pela pesquisa a fim de preservá-la.

 

A reabilitação das áreas é uma das atividades frequentemente consideradas em avaliação de impacto ambiental, sendo contemplada em estudos realizados desde a fase de planejamento até a desativação do empreendimento. 

 

Já foram recuperados 1.831 hectares de área minerada, sendo que em 2023 o Setor de Biodiversidade por meio do Plano de Recuperação de Áreas Degradadas (PRAD) atingiu a marca de 414 hectares de reflorestamento. 

 

Para este ano, a expectativa é que para cada hectare minerado sejam recuperados 1,5 hectares.

 

A lista de mudas florestais produzidas é composta por 150 espécies, incluindo algumas que estão protegidas ou ameaçadas: Castanheiras, Maçaranduba, Itaúba e Pau Rosa, seguindo o inventário florestal realizado antes da mineração. Uma medida sustentável que ajuda na preservação ambiental e gera renda.




  • Imprimir
  • E-mail