Banpara energia solar


Enfermeiro que morreu domingo, na orla de Santarém, foi socorrido por garçonete 20 minutos após ter caído da cadeira e ficar deitado ao chão do bar; Vídeo

Portal OESTADONET - 01/03/2024

Helder sendo retirado do bar e lanchonete, na orla de Santarém - Créditos: Reprodução/Vídeo

O Portal OESTADONET teve acesso a mais um vídeo que mostra o momento em que funcionárias da lanchonete ‘Big Lanche’ notam o enfermeiro Helder Colares Neves caído após ter tido sua bebida ‘batizada’ pelas mulheres Neila Patrícia dos Santos e Anna Dayane de Andrade Bentes e o travesti Verônica Brito Farias.

 

Do horário da queda de Helder da cadeira, quando foi dopado pelo trio suspeito, se passaram cerca de 20 minutos, até ele ser notado no chão, e começar a ser socorrido. Veja abaixo:

 

 

 

 

O relógio da câmera de segurança marca 00h54, o horário que Helder caiu. No vídeo acima obtido pelo Portal OESTADONET, são exatos 01h14, quando Daniele e as três pessoas tentam acordar o cliente.

 

Já publicado pelo portal, um vídeo editado contendo quatro passagens anteriores da linha de tempo filmada no interior do bar e lanchonete você pode assistir AQUI.

 

A polícia deu início à investigação criminal para apuração da materialidade, autoria e circunstâncias da morte suspeita de Helder Colares Neves, ocorrida no último dia 25, nesse estabelecimento comercial, na avenida Tapajós, em Santarém, no oeste do Pará.

 

Dayane, Neila e Verônica tiveram a prisão temporária mantida pela Justiça, mas até sexta-feira(1), Anna Dayane e Neika já estavam em prisão domiciliar, enquanto Verônica permanecia presa.

 

O vídeo mostra o momento em que funcionárias da lanchonete ‘Big Lanche’ percebem que Helder está caído no chão. O circuito de segurança do local marca o horário de 01h14 e mostra Daniela Pantoja dos Santos tentando acordar o enfermeiro. Ela revira os bolsos da vítima à procura do celular para tentar algum contato de um familiar, mas não há nada nos bolsos do homem. 

 

Daniela conversa com dois homens, um é um mototaxista e o outro é um vendedor ambulante. Há outra mulher na parte do caixa. Por volta das 01h16, as quatro pessoas que estão no estabelecimento decidem carregar a vítima para fora do estabelecimento.

 

Do horário da queda de Helder da cadeira, quando foi dopado pelo trio suspeito, se passaram cerca de 20 minutos, até ele ser notado no chão. 


 

Entenda o caso

 

Por volta das 08h00 do dia 25 de fevereiro, o corpo da vítima foi avistado sobre um banco entre a lanchonete 'Big Lanche' e a loja Gazin, entre as travessas 15 de Agosto e Mártires. 

 

O Samu foi acionado pelo cidadão Djalma Neves Filho. Aparentemente não havia marcas de violência no corpo.

 

Imagens das primeiras horas do dia 25/02, do circuito da lanchonete 'Big Lanche', mostram a vítima bebendo em companhia de Neila Patrícia dos Santos, Anna Dayane de Andrade Bentes e Verônica Brito Farias. 

 

Helder está sentado ao lado de Verônica e Neila.

 

Um dos trechos das imagens mostra Verônica distraindo a vítima, enquanto Dayane coloca uma substância no copo de Helder. 

 

Após alguns minutos, Helder começa a ficar sonolento, como se estivesse dopado. Neila, Dayane e Verônica passam então a revirar os bolsos da vítima à procura de pertences. Elas subtraem carteira, dinheiro, relógio entre outros objetos.

 

Elas deixam a lanchonete e Helder fica sentado na cadeira e, logo em seguida, cai. 

 

De acordo com funcionárias do local, a vítima parecia estar embriagada e por conta dessa suposta condição acharam que ele estava dormindo.

 

Ao fechar o estabelecimento e vendo que Helder não acordava, uma funcionária teria acionado o Samu, que não compareceu imediatamente para atender a ocorrência.

 

Testemunha


Daniela Pantoja dos Santos, funcionária da lanchonete, contou à polícia que Neila, Dayane e Verônica, além de uma mulher loura, sempre vão à lanchonete e sempre acompanhadas de homens diferentes. 

 

Ela contou que as mulheres estavam conversando com Helder e depois deixaram o local dizendo que iriam chamar o filho da vítima que estava na orla.

 

Quando ela foi recolher as garrafas que estavam na mesa notou que o homem estava deitado no chão. Ela então chamou a auxiliar de cozinha identificada como Jaqueline Sousa Fonseca para ajudar e esta, por sua vez, chamou o mototaxista Michel Ferreira para ajudar. Jaqueline e Michel tentaram acordar o enfermeiro, achando que ele estava dormindo.

 

Mas não conseguiram, pois ele estava desacordado, mas respirando, aparentando um sono muito pesado. 

 

Daniela contou ainda que mexeu nos bolsos do homem para procurar o celular dele pra tentar chamar algum parente, mas não tinha nenhum pertence com ele. 

 

Os quatro decidiram então colocar Helder num banco. Por volta das 01h36, elas fecharam o lanche e ligaram novamente para o Samu.

 

Por volta das 02h30, Daniela e Jaqueline, além de Michel saíram do lanche e até aquele momento, a ambulância do Samu não havia chegado ao local e o enfermeiro permanecia no banco que serve aos taxistas que fazem ponto em frente à loja Gazin.




  • Imprimir
  • E-mail