banpara LCI julho 2024
Verão julho

Ex-sargento Gildson é condenado a 72 anos de reclusão pelo júri popular da Comarca de Santarém

Portal OESTADONET - 19/12/2023

Ex-sargento Gildson continua condenado - Créditos: Reprodução

O tribunal do júri da Comarca de Santarém condenou na tarde desta terça-feira (19), a 72 anos de reclusão, 1 ano de detenção e 15 dias multas o ex-sargento da Polícia Militar Gildson dos Santos Soares, denunciado pelo Ministério Público por matar Sônia da Silva Viana, 40 anos, em junho de 2018, no bairro Santarenzinho, em Santarém, no oeste do Pará. O ex-militar também foi condenado por cinco tentativas de homicídios dos ocupantes que estavam com Sônia em um carro, no dia do crime.

 

Das 18 testemunhas arroladas pelo Ministério Público do Pará (MPPA), para serem ouvidas, 14 compareceram, entre elas, as cinco sobreviventes. O julgamento do réu foi dividido em dois dias, iniciando na segunda e encerrando nesta terça-feira com a sentença do acusado.

 

Os advogados do ex-militar defenderam a tese de legítima defesa, porém, a promotoria pediu a condenação de Gildson pela morte de Sônia e pelas cinco tentativas de homicídio. Ele também responde por fraude processual. 

 

O crime


Consta nos autos do processo, que no dia no dia 28 de junho de 2018, por volta das 15h30h, o acusado perseguiu o veículo onde estavam as vítimas e efetuou diversos disparos. O crime aconteceu na avenida Angelim, com a rua Cedro, na grande área do Santarenzinho. No interior do veículo estavam Sônia, o marido dela, um amigo e filhos do casal. O crime teria sido motivado por disputa de terrenos na ocupação Bela Vista do Juá.

 

Sônia Viana morreu no local. 

 

Gildson foi denunciado pelo crime de homicídio qualificado e mais cinco tentativas de homicídio qualificado. 

 

O ex-militar está preso desde 2020, após quebrar medidas cautelares. 

 

A sessão do júri popular foi presidida pelo titular da 3ª Vara Criminal de Santarém, juiz Gabriel Veloso de Araújo.




  • Imprimir
  • E-mail