banpara LCI julho 2024
Verão julho

Falsos registros de ocorrências feitos por idosos têm sido comuns em Santarém, no Pará

Portal OESTADONET - 13/07/2023

Delegada Márcia Rabelo - Créditos: Portal do Valdir Ribeiro

Tem sido cada vez frequente na Delegacia do Idoso, em Santarém, no oeste do Pará, o registro de falsas ocorrências onde as vítimas são pessoas idosas. Na maioria dos casos apresentados à delegacia, as denúncias têm indícios e são investigadas, mas há casos que se trata de  falsa informação repassada à polícia pelas próprias supostas vítimas. O registro desse tipo de ocorrência mobiliza servidores da polícia, que atendem aos casos e encaminham para a apuração. Além disso, esses tipos de situações deixam ainda mais vulneráveis esses cidadãos, sobretudo quando eles permitem serem filmados e contam suas falsas histórias à imprensa.

 

O caso mais recente aconteceu nesta terça-feira (11), quando um homem de 78 anos procurou a Delegacia da Idoso para denunciar uma ex-cunhada que, segundo ele, teria tentado envenena-lo com caldo de cobra cascavel. Além disso, ele relatou a delegada Márcia Rabelo, titular da especializada que atende aos casos de violência contra idosos, que ganhou R$ 16 milhões na loteria e teve o dinheiro levado pela família. 

 

Nesta quarta-feira (12), a titular da Delegacia do Idoso informou que, apesar de desconfiar da história fantasiosa, a polícia inicia o procedimento para apurar a procedência da informação e as condições da suposta vítima. No caso do homem que afirmou quase ter sido envenenado, a delegada Márcia Rabelo disse que tudo não passou de uma falsa informação, uma história inventada por ele. 

 

O senhor Francisco Soares dos Santos, de 78 anos, segundo a delegada, foi ouvido na manhã de terça-feira e se recusou a registrar o boletim de ocorrência, bem como não forneceu detalhes como endereço, documentos e outras informações solicitadas pela autoridade policial para dar encaminhamento à denúncia. 

 

“É uma situação que tem ocorrido com frequência na Delegacia do Idoso, de a pessoa aparecer para registrar uma ocorrência de algo fantasioso. Neste caso, notamos um princípio de demência. O homem disse que ganhou na mega sena e que a família dele levou o dinheiro. Mas não forneceu nenhum elemento que desse embasamento para que o caso fosse investigado. Nós pedimos à população que cuide melhor dos seus idosos, principalmente aqueles que têm algum sintoma de Alzheimer, ou outra doença”, alertou.




  • Imprimir
  • E-mail