Alcoa Juruti
El Mexicano 2
churrascaria interno

Juruti e Alcoa

Lúcio Flávio Pinto - 15/04/2019

Mina de bauxita explorada pela Alcoa, em Juruti, região oeste do Pará. Foto:IJUS/Arquivo -

Juruti completa neste mês 201 anos de existência. Sua maior empresa está no município há 10 anos. Em 2006, quando a Alcoa, a maior produtora de alumínio do mundo, começou a se instalar no município, o Produto Interno Bruto local era de 70 milhões de reais. Chegou a R$ 905 milhões em 2014. No mesmo ano, a renda por pessoa ultrapassou R$ 17 mil. Em 2000, era de apenas R$ 1.137,00.

 

Num press release que distribuiu para comemorar a data, a Alcoa diz que uma das frentes que utiliza no campo social é o Ijus (Instituto Juruti Sustentável), criada com o aporte financeiro da mineradora americana para financiar projetos na área de sustentabilidade. Ao longo de 10 anos, mais de 3.500 pessoas foram beneficiadas diretamente, com a aplicação em torno de um milhão de reais em investimentos a fundo perdido.

 

Líder mundial em produtos de bauxita, alumina e alumínio, no Brasil, a Alcoa possui três unidades produtivas, em Poços de Caldas (MG), São Luís (MA) e Juruti, escritórios em São Paulo (SP), Poços de Caldas (MG) e Brasília (DF), além de participação acionária na Mineração Rio do Norte, em Oriximiná, e em quatro usinas hidrelétricas: Machadinho, Barra Grande, Serra do Facão e Estreito.

 

Na nota à imprensa, a Alcoa não tratou especificamente do seu investimento na mina de bauxita de Juruti, de onde extrai minério para a sua fábrica de alumina em São Luís do Maranhão. O aniversário de Juruti não foi a oportunidade para abrir o interesse por essa atividade, que assinalou uma nova etapa na história do município, no extremo oeste do Pará.


  • Imprimir
  • E-mail