Dengue
Vox interno
churrascaria interno

Após ampliação, porto em Santarém deve comportar navios maiores e estocar 500 mil metros cúbicos de combustível por ano

Weldon Luciano - 02/03/2019

A Raízen, empresa que arrendou a área de ampliação do terminal portuário de Santarém apresentou detalhes do projeto ao poder público municipal durante a reunião do Grupo de Gestão Integrada para o Desenvolvimento Regional Sustentável (GGI) realizada na quinta-feira, 28 de fevereiro. De acordo com o projeto, após a ampliação, o porto em Santarém deve comportar navios maiores e ampliar a capacidade de armazenamento de combustíveis para seis vezes mais do que é hoje. As obras devem iniciar no segundo semestre de 2019.

 

Segundo a empresa, o porto de Santarém atualmente possui um píer de 200 metros que pode receber navios com 30 mil toneladas de capacidade. Com as obras de ampliação, o terminal passará a contar com um novo píer de 200 metros que poder receber navios de 50 mil toneladas com 12 metros de calado.

 

Outro píer deve ser construído para o embarque e desembarque de combustíveis em barcaças com capacidade para receber duas embarcações, simultaneamente. Em terra, será erguido um novo complexo de armazenamento. A capacidade atual de tancagem de combustível é de 6 mil m³ com uma movimentação de 210 mil m³ por ano. Com as novas instalações, esses números sobem para 40 mil m³, com movimentação anual de 500 mil m³ por ano.

 

O projeto prevê que pelos próximos 25 anos o município de Santarém será beneficiado com investimento de aproximadamente R$ 175 milhões na área de logística para movimentação e armazenamento de gasolina, diesel e etanol. A área de mais de 35 metros quadrados do terminal STM 05, destinado à movimentação de combustíveis no Porto de Santarém foi arrematada em leilão. O Consórcio já havia assinado contrato relativo à área de 28.827 m² do STM 04, contígua à STM05. Os dois terminais, que foram arrematados em uma mesma sessão na Bolsa de Valores, vão se complementar nas atividades de expansão de movimentação de combustíveis.

 

Segundo o Ministério da Infraestrutura, entre os benefícios do projeto, está a criação de um hub de logística e distribuição dos combustíveis na região Norte. Todo o combustível que vem do estado do Amazonas, por meio de balsas, passará pelos terminais de Santarém para ser repassado para caminhões-tanque, que farão a distribuição do produto no oeste paraense. O combustível será distribuído também por balsas para diversos municípios do Pará, além de outros estados da região Norte.


  • Imprimir
  • E-mail