pms maio
Camarão no pão
Banpará

Promotoria de Justiça de Juruti prorroga prazo de investigação sobre Acorjuve e abre procedimentos para investigar outras associações e município

Weldon Luciano - 25/02/2019

Vista aérea de Juruti, no oeste do Pará. - Créditos: SkyscraperCity

A Promotoria de Justiça de Juruti, a prorrogou o prazo do Procedimento Administrativo nº 002/2013-MP/PJJ que apura a tomada de contas da Associação das Comunidades da Região do Juruti Velho (Acorjuve). A promotoria deve investigar também se há regularidade nas contas de outras associações civis e uma outra terá como alvo o município - referente à qualificação e formação de servidores. Os procedimentos foram assinados pelo promotor de justiça Titular Rafael Trevisan Dal Bem e foram divulgados no Diário Oficial do Estado.

 

Segundo o documento, a investigação na Acorjuve é referente aos exercícios financeiros de 2011 e 2012. O procedimento administrativo protocolado em 2013 terá a prorrogação de um ano ficando à disposição da promotoria. Ainda segundo a promotoria, torna-se pública a instauração do Procedimento Administrativo nº 036/2018-MP/PJJ, no qual as Associação Beneficente e Promocional Paz, Associação das Famílias da Casa Familiar Rural, Associação Esportiva Clube do Remo, Conselho Escolar Emanuel Salgado Vieira e o Conselho Escolar da E.E.E.F. Deputado Américo Pereira Lima terão suas contas averiguadas para certificar se há irregularidades ou não.

 

Outro Procedimento Administrativo, de nº 026/2018-MP/PJJ, é referente ao Município de Juruto. O objetivo é acompanhar as condições de trabalho dos guardas municipais que não receberam curso de formação e qualificação para exercer suas atividades. 


  • Imprimir
  • E-mail