pms maio
Camarão no pão
Banpará

Contrato que põe sob suspeita ex-presidente do Banpará é cancelado

Lúcio Flávio Pinto - 07/02/2019

Durante pelo menos os quatro últimos anos do governo de Simão Jatene, a InBox, de Albino Neto, deve ter faturado 12 milhões de reais para exibir propaganda do Banco do Estado do Pará em circuito interno de televisão numa rede de aparelhos colocados tanto em academias de ginástica como em todas as agências do Banpará, na capital e no interior. O contrato era anual, mas foi seguidamente renovado. Resultava no faturamento pela empresa de aproximadamente R$ 250 mil por mês e R$ 3 milhões por ano.

O Liberal, na sua nota de hoje(6), diz que o então presidente do banco, Augusto Costa, seria sócio de Albino. O executivo autorizou um novo contrato antes de deixar a direção do Banpará, para vigorar de 1º de janeiro a 31 de dezembro deste ano. Mas a nova direção da instituição cancelou o contrato no dia 1º.


  • Imprimir
  • E-mail