Violência interno
Pro refis

Fraudes no Detran: 6 suspeitos permanecem presos, seis cumprem prisão domiciliar, quatro foram soltos; resta um foragido

Portal OESTADONET - 05/07/2018

O juiz Alexandre Rizzi manteve a prisão de cinco acusados de participação em suposto esquema de fraudes no Detran em Santarém. Ivanildo Paulo Fonseca Pedroso, Benedito Silva Lima, Rosildo Ferreira dos Santos, Miguel Ângelo Pereira Costa e José Orlando de Medeiros Rodrigues tiveram negados seus pedidos de liberdade provisória.”Entendo que ficou plenamente demonstrado na investigação existir não só indícios de materialidade de suas condutas mas a atualidade das mesmas, sendo necessário mantê-los presos para que se garanta a ordem pública visando fazer com que sociedade paraense (santarena) permaneça confiante e tranquila de que a corrupção endêmica está sendo efetivamente combatida”, escreveu o magistrado., nos termos da decisão anterior.
Quanto aos acusados Claudionor Rocha da Costa, José Luiz Bentes da Costa, Marcelo Melo Porto, Marcio Roberto Santos Pimentel, Rosalba Henriques Vieira e Eliéser de Siqueira tiveram a prisão preventiva substituída pela prisão domiciliar.

Esses seis suspeitos deverão, de acordo com o despacho do juiz,  sob pena de revogação desse benefício, atender as seguintes determinações: a. Deverão permanecer nas dependências de suas residências; b. Não deverão cometer crime ou contravenção penal; c. Devem residir no endereço declarado, relacionando-se apenas com seus familiares; d. Não poderão falar ao telefone ou se comunicar por meio de redes sociais com qualquer pessoa, envolvida ou não na investigação; e. Não devem usar ou portar em hipótese alguma entorpecentes e bebidas alcoólicas; f. Não podem manter qualquer espécie de contato com as testemunhas ouvidas pela autoridade policial ou por este Juízo g. Deverão submeter-se à fiscalização das autoridades encarregadas de supervisionar as presentes condições; h. Ficam, finalmente, proibidos de negociar, transacionar ou desenvolver qualquer atividade laboral que seja direta ou indiretamente relacionada com as atribuições do Detran.

Foram deferidos, também, pedidos de liberdade provisória para o ex-diretor da CIRETRAN, Claudiomar de Oliveira Furtado, o Mazinho, Waldeci Reis Lemos Mota, Fabrício Rente dos Santos e Jonnatha de Sá Oliveira.

“Concedo a liberdade provisória uma vez que entendo não mais existir risco para a ordem pública. Deverão, entretanto, sob pena de revogação desse benefício, atender as seguintes determinações:
a. Não deverão cometer um novo crime ou contravenção penal;
b. Devem residir no endereço declarado, relacionando-se bem com seus familiares e vizinhos, devendo comunicar com
antecedência a esse Juízo eventual mudança de endereço;
c. Devem comparecer nesse Juízo mensalmente, especialmente em um dos dias designados no calendário de apresentação,
para informar e justificar suas atividades;
d. Não devem usar ou portar em hipótese alguma entorpecentes e bebidas alcoólicas;
e. Devem trazer comprovante de endereço (conta de água, luz, telefone ou declaração de duas pessoas idôneas) por ocasião
da primeira apresentação na Secretaria Judiciária desse Juízo;
f. Não poderão manter qualquer espécie de contato com as testemunhas ouvidas pela autoridade policial ou por este Juízo.
g. Deverão submeter-se à fiscalização das autoridades encarregadas de supervisionar as presentes condições;
h. Ficam, finalmente, proibidos de negociar, transacionar ou desenvolver qualquer atividade laboral que seja direta ou
indiretamente relacionada com as atribuições do Detran.

Atualização às 16h30.

O suspeito Olmafran Tadeu Alves Figueiró se apresentou na tarde desta quinta-feira para cumprir prisão preventiva na penitenciária de Cucurunã. Permanece foragido Flávio Augusto Costa Lima.


  • Imprimir
  • E-mail