Violência interno
Pro refis

Sargento que atirou e matou mulher prestará depoimento dia 22 de agosto no processo em que é réu por tráfico e formação de quadrilha

Portal OESTADONET - 03/07/2018

O juiz Alexandre Rizzi, titular da 1ª Vara Criminal da Comarca de Santarém, marcou para o dia 22 de agosto, às 08h30, o depoimento do sargento Gildson dos Santos Soares, denunciado pelo Ministério Publico pelos crimes violação e sigilo funcional, tráfico de drogas, furto qualificado e formação de quadrilha, no inquérito em que originalmente foram indiciados Marcos Vicente Mendonça de Carvalho( já falecido), Marcos Jonatas Araújo da Silva,  Eduardo Souza Pereira, Zoilo Cerdeira de Souza, Josimar Rui Pinho da Silva, Jackson Douglas Mendes Mota e Aldemir Junio de Oliveira.

O sargento Gildson confessou ter feito os disparos que mataram uma mulher e feriram outras três pessoas que estavam no interior de um veículo, dia 28 de junho, em Santarém. No dia seguinte o militar teve contra si decretada prisão preventiva e foi transferido, no dia 30, para a penitenciária Anastácio das Neves, em Santa Izabel do Pará.

No dia 28 de junho de 2016 o Juiz Paulo Pereira da Silva recebeu a denuncia e incluiu no processo instaurado no dia 14 de fevereiro de 2013 o sargento Gildson, Adriano Batista Fernandes e Availson Silva Ferreira.

A defesa de Gildson alegou, em sua defesa, falta de justa causa para ação penal, mas o juiz Alexandre Rizzi rejeitou a preliminar aventada, “eis que a denúncia descreve os fatos supostamente criminosos e respectivos autores de forma detalhada, de modo que se encontra formalmente apta ao prosseguimento da ação” e marcou para o dia 22 de agosto, a audiência de instrução e julgamento, em despacho assinado no dia 28 de junho.

Ainda segundo a decisão do juiz, permanecem os autos suspensos em relação a Marcos Jonatas Araújo da Silva, Eduardo Souza Pereira e do réu Zoilo Cerdeira de Souza, em razão do incidente de insanidade instaurado.

Homicidio

Tramita na Justiça Militar processo de homicídio, ocorrido no dia 7 de julho de 2017, ao qual respondem o sargento Gildson dos Santos Soares, Josiel de Almeida Silva e Antonio Marlei da Silva Figueira, cuja vítima foi I.S.N. Este processo tramita em segredo de justiça. No dia 26 de fevereiro deste ano o processo foi enviado para receber parecer do procurador da Justiça Militar.


  • Imprimir
  • E-mail