Doe Sangue
Não a Violencia
Aniversário STM

Irmão Ronaldo deixa a Pastoral do Menor para trabalhar com formação de religiosos em Belo Horizonte

11/12/2017

Créditos: Irmão Ronaldo Henn: dedicação à formação cristã de crianças e adolescentes em Santarém.

O irmão Ronaldo Hein, da Congregação de Santa Cruz, que coordena a Pastoral do Menor da Diocese de Santarém, vai assumir a subcoordenação da casa de formação de religiosos que a entidade vai implantar em Belo Horizonte, a partir de janeiro de 2018.

Irmão Ronaldo chegou a Santarém em 1968 para atuar no Colégio Dom Amando, onde lecionou Ciências e Religião. Antes, em 1965, passou uma temporada no Rio de Janeiro, onde aprendeu a falar português. Mas sua atuação ficou marcada a frente da Pastoral do Menor, entidade que atua há mais de três décadas em apoio a menores em situação de risco social e suas famílias.

"Recebi o convite do irmão paraibano Edson Pereira para auxiliá-lo na implantação de uma casa de formação em Belo Horizonte. Serão três de nossos alunos da Congregação de Santa Cruz que concluíram a formação no Peru e Chile que, agora, vem ao Brasil para cursar Teologia, que precisarão ser orientados por nós", contou irmão Ronaldo, que viaja dia 5 de janeiro para lá.

Irmão Ronaldo explicou ao Portal OESTADONET que Distrito de Santa Cruz no Brasil definiu que a formação de religiosos é prioridade da congregação. "Eu não esperava por essa transferência, sendo prioridade não posso dizer não. Quando fui convidado pelo irmão Edson, decidi acompanhá-lo nessa missão". 


A casa de formação da Congregação de Santa Cruz em Belo Horizonte está ligada à Paróquia do Bom Pastor, nas imediações da PUC Minas. Os três religiosos vão cursar Teologia no Instituto Bom Pastor.


Irmão Ronaldo completou 66 anos de ordenação religiosa, dos quais cerca de 50 anos dedicados ao trabalho educacional e pastoral em Santarém. É natural de Evansville, estado de Indiana, Estados Unidos.


Sobre deixar Santarém após quase meio século de vida religiosa, irmão Ronaldo demostra resignação e humildade. " Aprendi muito em Santarém. Assimilei a cultura, a fraternidade do povo santareno. Esse é o maior tesouro que posso levar daqui. Nossa equipe da Pastoral do Menor assimilou nossa forma de atuar, que busca desenvolver um projeto de educação integral na fé. Esse trabalho vai prosseguir, tenho certeza", concluiu o religioso.


  • Imprimir
  • E-mail