Doe Sangue
Não a Violencia
Educação

Diretor da 5ª URE nega envolvimento com emissão de diplomas falsos para ex-servidoras da Semed

Portal OESTADONET - 01/12/2017

O diretor da  5ª Unidade de Ensino da Seduc, com sede em Santarém, professor Jucinaldo Almeida, o Naldo Picota,  informou por telefone ao Portal OESTADONET que a diligência da Polícia Civil, ocorrida na manhã desta sexta-feira(1), nas dependências da URE, não apreendeu documentos nem computadores do órgão. 
Os policiais, segundo o diretor, foram recebidos por duas funcionárias da secretaria da unidade regional de ensino. Uma delas assinou o termo de busca e apreensão, onde, segundo Naldo, foi lavrado que nada de irregular foi encontrado.
Naldo informou, também, que vai procurar o Ministério Público Estadual, na segunda-feira, para prestar todas as informações que, segundo o diretor, demonstrarão que a 5ª URE não está envolvida na emissão de diplomas falsos de segundo grau.
Segundo apurou o Portal OESTADONET, uma das ex-servidoras presas na operação Apate - que investiga fraude em documentos necessários à contratação de funcionários do setor de educação infantil da Secretaria Municipal de Educação de Santarém - e que foi libertada após cumprir prisão temporária de 5 dias, acusa o diretor da 
5ª URE de facilitar o fornecimento de certificados falsos da Escola Estadual Felisbelo Sussuara.
Em nota, a Polícia Civil informou que " na manha desta sexta-feira (01/12/2017) a Superintendência da Polícia Civil em Santarém  cumpriu mandados de busca e apreensão, na sede da  URE, e na residência de um reservidor público apontado como fornecedor de certificados falsos."
Segundo a nota, " As diligências foram realizadas por uma equipe da polícia civil comandada pelo delegado José Kleidson de Castro, que preside o Inquérito Policial, com o objetivo de apreender objetos e instrumentos usados para falsificação dos certificados."
De acordo com a nota, '" As Buscas e apreensões foram solicitadas Pela Polícia Civil e Ministério Público, e decretada pelo Juiz Romulo Nogueira de Brito, nos autos do processo 0017931-03.2017.8.14.0051, em virtude do surgimento de informações de um servidor público lotado na 5ª URE era a pessoa responsável pelo fornecimento dos certificados falsos."


  • Imprimir
  • E-mail